Igreja Católica espera pelo aval do Governo para avançar com ala feminina do projecto Esperança (c/áudio)

Cidade da Praia, 06 Jan (Inforpress) – A Igreja Católica espera que o Governo conceda o espaço situado em São Jorginho para avançar com o centro feminino no âmbito do projecto Esperança para ajudar mulheres usuárias de drogas e álcool, revelou hoje Dom Arlindo Furtado.

No encontro, que manteve esta manhã, com o Presidente da República, José Maria Neves, para apresentar o cumprimento de ano novo, o cardeal Dom Arlindo Furtado disse que, neste momento, é necessário ter uma ala feminina para acolher essas mulheres sendo que há casos e situações “alarmantes”.

Explicou que neste momento uma comunidade religiosa no Brasil que tem uma vasta experiência nesta área mostrou-se disponível para colaborar e dar o seu contributo aqui em Cabo Verde.

A ideia deste projecto, segundo o cardeal, é apoiar mulheres e meninas que têm problemas com álcool e drogas na recuperação com acompanhamento na sua sociedade, sua família e inserção social, fazendo com que a igreja possa dar o seu contributo nesse sentido.

“O primeiro-ministro tinha prometido em São Jorginho a abertura de um centro feminino, mas só que as coisas estão em banho maria e não avançam. A sociedade precisa e estamos a aguardar para que as nossas mulheres tenham a oportunidade de se libertarem, de retomarem a vida, crescerem e darem um contributo para a paz social e o bem-estar das famílias e para o equilíbrio de toda uma sociedade que se pretende cada vez mais humana fraterna e feliz”, apontou.

Por outro lado, avançou que essa comunidade brasileira já esteve no arquipélago e ficaram muito felizes com o anúncio do chefe do Governo que prometeu disponibilizar o espaço em São Jorginho.

“Se o Governo, que tem aquele espaço ali fechado onde já se fez muito investimento no passado e agora não tem utilidade nenhuma e está lá a degradar-se, disponibilizar esse espaço para acolher o Grupo feminino para recuperação da sua integridade, saúde, dignidade e retoma da sua vida a Igreja mobiliza recursos de outra forma para preparar melhor o ambiente e acolher os primeiros grupos como está a acontecer com os homens na Fazenda Esperança”, referiu.

Dom Arlindo Furtado disse ainda que recebeu uma abertura da parte do Chefe de Estado que se mostrou “interessado” e que está ciente da necessidade e avanço desse projecto para as mulheres no país.

Fundada no Brasil em 1983, a Comunidade Terapêutica iniciou as suas actividades em Cabo Verde a 28 de Janeiro de 2018, realizando o acolhimento, em regime residencial, de pessoas usuárias de subsistência psicoativas, nomeadamente o álcool e outras drogas, na sua unidade durante um período de 12 meses.

A Fazenda da Esperança Cabo Verde já recebeu mais de 120 jovens e oferece o serviço de recuperação de dependência química com a finalidade de resgatar a dignidade e valores dos usuários de substâncias psicoativas, objectivando a manutenção da sobriedade, bem como o retorno e inclusão ao meio social dos mesmos.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos