HUAN classifica de “inverídica e errónea” a denúncia de tratamento inadequado à paciente Eliany Tavares

Cidade da Praia, 27 Set (Inforpress) – O Hospital Universitário Agostinho Neto (HUAN) classifica de “inverídica e errónea” a denúncia de “tratamento não adequado” à paciente Eliany Tavares, que se encontra internada há mais de um ano naquele serviço hospitalar.

Um grupo de pessoas, entre familiares e vizinhos de Eliany Tavares, manifestou-se na última sexta-feira, 24, na Cidade da Praia, exigindo “tratamento de saúde adequado” à criança.

Numa nota de esclarecimento enviada à Inforpress, o Conselho de Administração do HUAN declina qualquer responsabilidade, considerando que essa informação afecta a reputação e o bom nome do Hospital, “apesar de entender a aflição dos familiares”.

A mesma fonte precisa que se trata de uma paciente internada no Serviço de Pediatria desde o dia 10 Abril de 2020, por uma doença rara, que evoluiu rapidamente para estado grave.

No sentido de reverter o quadro clínico, o HUAN garante que a paciente recebeu assistência de uma equipa multidisciplinar e com a realização de exames complementares no país e no exterior, assim como de todos os tratamentos que a situação clínica impõe.

“Os dirigentes do HUAN e particularmente do serviço de pediatria, preocupados com a situação clínica da paciente, sempre e, por várias vezes, receberam os pais da criança, informando-os sobre a real situação clínica, prestando apoio logístico, mantendo visitas regulares, por forma a poder estar sempre a par da situação”, acrescenta.

Os responsáveis avançam, no entanto, que inconformados com a notícia da gravidade da paciente, os familiares têm-se demonstrado comportamento agressivo, “inclusive registado episódio grave de ameaça à integridade física com uma arma branca” aos profissionais de saúde.

“Não terminou em tragédia, porque valeram as intervenções de utentes e das autoridades policiais. O caso encontra-se em investigação junto das autoridades competentes”, informa.

Em relação à possibilidade de evacuação da paciente para o exterior, a mesma fonte esclarece que existem critérios e procedimentos instituídos para efeito e que esse processo tem o seu próprio órgão de decisão.

Para terminar, a Conselho de Administração do HUAN informa que o estado de saúde da paciente Eliany Tavares “continua crítico” e sob cuidados “que de resto mantém viva a criança.”

OM/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos