Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Habitações “Casa para Todos” das classes B e C podem ser preenchidas em regime de venda a prestações – IFH

Cidade da Praia, 12 Jan (Inforpress) – As habitações “Casa para Todos” que não foram vendidas, poderão ser preenchidas especialmente em regime de venda a prestações, ou seja, por arrendamento resolúvel, um sistema em que a transferência de posse do imóvel é imediata.

A informação foi avançada hoje, pelo PCA da Imobiliária, Fundiária e Habitat, S.A. (IFH), José Miguel Duarte Martins, tendo explicado que a venda a prestações com reserva de propriedade ou arrendamento resolúvel “é um sistema em que a transferência de posse do imóvel é imediata”, contudo “o valor é pago espaçadamente no tempo, em prestações mensais, durante o período acordado para o efeito”.

Segundo, o responsável, através deste, a IFH acaba por “comportar-se” como uma entidade financiadora, pois concede o crédito ao adquirente da habitação, associando um custo ao processo.

No caso, precisou, o adquirente terá que preencher determinados pré-requisitos que comprovem que tem “capacidade para suportar” as rendas mensais (rendimento mensal e taxa de esforço) e que dêem “segurança” à IFH que o pagamento é efectuado “todos os meses tempestivamente (ordem de transferência bancária permanente)”.

A IFH tem, desde 2019, um regulamento de venda a prestações com reserva de propriedade que regula e concede transparência à forma como as vendas a prestações são concretizadas.

Com o arrendamento resolúvel, o pagamento da última parcela se faz a transferência “integral da titularidade” do imóvel, disse, salientando que o contrato de venda a prestações com reserva de propriedade é um contrato de compra e venda onde o pagamento é “disperso no tempo”, para o efeito existe um custo associado e obrigações que o comprador deverá cumprir.

O valor da prestação mensal depende do valor base do imóvel e do número de anos em que será efectuado o pagamento.

Para o arrendamento resolúvel, “não existe um número pré-estabelecido de habitações”, precisou José Miguel Martins, tendo sublinhado que a IFH se comprometeu a disponibilizar habitações para o sistema de venda a prestações com reserva de propriedade nos empreendimentos onde existam habitações disponíveis.

De igual modo, referiu que a empresa continua com outros acordos e processos de negociação em curso e com o programa de subsidiação do Estado para a aquisição de primeira habitação para jovens e deficientes.

De acordo com o PCA, a IFH já construiu aproximadamente 5.700 habitações no programa Casa para Todos, das quais mais de 80% foram alienadas ou estão em processo de venda.  E cerca de 2.777 foram alienadas a favor do Estado, que as tem utilizado exclusivamente no arrendamento social, praticando rendas acessíveis às classes mais vulneráveis.

“Estas habitações, que correspondem a cerca de 50% do programa, estão distribuídas por todas as ilhas do País (excepto a ilha Brava), entretanto, o Governo teve ultimamente um especial enfoque no reforço do stock de habitações para arrendamento social nos concelhos onde o déficit habitacional é maior, nomeadamente, Praia, São Vicente, Sal e Boavista”, assegurou.

TC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos