Há muitos casos de abandono escolar de universitários cabo-verdianos em Portugal – JPAI

Cidade da Praia, 28 Abr (Inforpress) – O presidente da Juventude do PAICV (JPAI) afirmou hoje em entrevista à Inforpress que há muitos casos de abandono escolar de universitários cabo-verdianos em Portugal, por causa de dificuldades de integração e porque chegam sempre atrasados nos cursos.

Fidel Cardoso de Pina fez estas considerações no balanço da visita que manteve com uma delegação da JPAI à Europa, durante a qual participou no XIV Congresso da União de Juventudes Comunistas de Espanha , manteve encontros com a Juventude Socialista em Portugal, com a União dos Estudantes Cabo-Verdianos em Lisboa e com o Núcleo de Estudantes Africanos, presidido por um jovem cabo-verdiano

Segundo Fidel Cardoso de Pina, o abandono escolar e a falta de integração é um dos principais problemas vividos pelos estudantes cabo-verdianos em Portugal.

“Não temo números, mas de acordo com a associação de estudantes temos muito abandono escolar. Os estudantes vão para estudar, mas não conseguem integrar-se e dar seguimento a seus estudos, porque chegam sempre atrasados, as aulas começam em Setembro e eles chegam em Novembro ou Dezembro, principalmente por causa da burocracia do pedido de visto. Isso leva ao abandono,” explicou o jovem político.

Nestes casos, prosseguiu, a alternativa para muitos desses estudantes é procurar um emprego, mas por terem visto de estudante, também enfrentam dificuldades no pedido de autorização no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Quando conseguem, Segundo o presidente da JPAI a autorização, o trabalho é precário e na maior parte das vezes é feito no período nocturno. Porém, há outros que não tendo a mesma sorte são repatriados para Cabo Verde pelo SEF, por não estarem “nem a estudar e nem a trabalhar.”

Por isso, Fidel Cardoso de Pina sugere a criação de um núcleo na embaixada para apoiar os estudantes, principalmente na integração. Mas conforme o mesmo, este problema acontece também com os evacuados que recebem “alta antes do tempo” e que acabam por ficar em Portugal “não se sabe a razão” e “trabalham de forma precária” ou chegam mesmo “a prostituir-se.”

“Segundo associação, já aumentou até o número de reclusos cabo-verdianos na cadeia e temos muitos dos doentes evacuadas que acabam por ser mães muito novas. Portanto, acho que a embaixada e o Governo têm um grande trabalho a fazer para dar a nossa comunidade estudantil e jovens uma situação melhor, “defendeu.

Durante a visita à Europa, em Portugal, a comitiva do JPAI também esteve com o presidente da Juventude Socialista da Europa (JUS), João de Albuquerque, com a nova secretária-geral da Juventude Socialista (JS), Maria Begonha e foram recebidos por jovens deputados do Partido Socialista (PS)

Na Espanha, para participar XIV Congresso da União de Juventude Comunista de Espanha, encontraram-se com a Federação Mundial da Juventude, de quem receberam um convite para participar no encontro dessa federação para a região africana que vai acontecer na África do Sul.

Nesse encontro também analisaram a questão do populismo que está a crescer a nível mundial e o trabalho digno que, segundo Fidel Cardoso de Pina, é também um desafio para toda a juventude partidária e para Cabo Verde.

CD/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos