Guiné-Bissau: Secretário-geral do PRS diz que o partido está preparado para as eleições em qualquer data

Cidade da Praia, 05 Abr (Inforpress) – O secretário-geral do Partido para a Renovação Social (PRS), na Guiné-Bissau, Florentino Mendes Pereira disse hoje, na Cidade da Praia, que o seu partido está preparado para as eleições em qualquer altura.

Florentino Mendes Pereira, que veio a Cabo Verde na qualidade de ministro do Estado da Energia e Indústria e enviado especial do Presidente guineense, José Mário Vaz, falava aos jornalistas à saída de uma audiência com o chefe de Estado cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca.

Questionado se concorda com a realização das eleições antecipadas, conforme sugerido na semana passada, este dirigente partidário foi evasivo na resposta, adiantando que “a Guiné-Bissau é um Estado de direito e que seu partido está para cumprir a lei”.

“Nós estamos para cumprir a lei. A Guiné-Bissau é um Estado de direito e nós o que estamos a exigir é a aplicação da lei”, disse frisando que a legislação do país aponta o tempo para a realização das eleições.

“Se houver as eleições hoje o PRS está pronto e na Guiné Bissau é o partido mais preparado para ir às eleições”, declarou.

O PRS, segundo partido mais votado nas últimas eleições legislativas na Guiné Bissau, foi convidado em Maio de 2016 pelo Presidente da República da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, a formar o Governo.

José Mário Vaz justificou essa media com o facto de o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), que venceu as eleições de 2014, não estar, na altura, a reunir maioria parlamentar.

O assunto levou a uma luta judicial com diferentes interpretações e apesar de ter formado Governo, o PRS não conseguiu aprovar o programa de governação.

Na semana passada o representante da União Europeia na Guiné-Bissau, o português Victor Madeira dos Santos, sugeriu que seria bom que as próximas eleições legislativas fossem realizadas em Abril ou Maio de 2018, antes do período das chuvas no país.

A sugestão surgiu durante um seminário no Parlamento guineense, organizado pela Comissão Nacional de Eleições, para apresentar os relatórios dos últimos actos eleitorais, de 2014, e preparar o próximo ciclo eleitoral.

MJB/FP

Inforpress/fim

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos