Gualberto do Rosário assevera que o PEDS 2017-2021 é um “pacto importante” assumido por todos

 

Espargos, 09 Nov. (Inforpress) – O presidente da Câmara do Turismo de Cabo Verde asseverou esta quarta-feira, na ilha do Sal que o Plano Estratégico do Desenvolvimento Sustentável (PEDS 2017-2021) é um “pacto importante”, assumido por unanimidade.

Gualberto do Rosário, que falava no acto de apresentação dos objectivos do Plano Estratégico do Desenvolvimento Sustentável (PEDS 2017-2021), exposto pelo ministro das Finanças, Olavo Correia, num dos hotéis, na cidade turística de Santa Maria, reiterou que se trata de um documento “extremamente importante” e de convergência social.

Realçando ainda o facto de a situação “concreta” do país ter sido analisada entre o Governo, sindicatos e suas confederações, os empregadores através das Câmaras de Comércio e demais parceiros da Administração Pública, “passando a pente fino”, disse, as dificuldades e potencialidades, chegou-se a um acordo “fundamental” para a legislatura.

“Este acordo foi assumido por unanimidade pelo Conselho e foi assinado por todos. Isto é extremamente importante porque representa um pacto, uma convergência, uma aceitação de um programa. O programa do Governo e o acordo de concertação estratégica foram documentos inspiradores de preparação do Plano Estratégico do Desenvolvimento Sustentável”, exteriorizou.

Gualberto do Rosário vai dizendo que a Câmara do Turismo enquanto parceiro social tem acompanhado o processo de organização da actividade governativa e de preparação das condições para que o executivo “seja consistente” com os compromissos eleitorais que fez, plasmados, designadamente no programa do Governo.

“Este documento tem a mesma importância que a bússola para um navio. Define uma estratégia nacional para o desenvolvimento, identifica os elementos fundamentais que compõem esta estratégia, como é que a estratégia vai ser realizada para que a economia cabo-verdiana seja, de facto, uma economia dinâmica, sobretudo para que Cabo Verde se transforme numa economia de circulação no Atlântico médio, tirando proveitos de tudo aquilo que temos”, conjecturou.

“Este documento juntamente com o acordo de concertação estratégica apela-nos a uma coordenação muito fina de todas as nossas formas de intervenção em Cabo Verde para atingir uma taxa de crescimento muito superior a 7 por cento. Penso que o PEDS oferece condições para um desenvolvimento de dois dígitos”, concluiu Gualberto do Rosário.

SC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos