Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Greve/Polícia Nacional: Vice-presidente da Sinapol demite-se

Cidade da Praia, 27 Dez (Inforpress)-O vice-presidente do Sindicato Nacional da Polícia, (Sinapol), Faustino Moreno Sanches , demitiu-se hoje do cargo de dirigente sindicalista, alegando que não há motivos para a realização da greve de três dias, hoje iniciada pelos agentes.

Faustino Moreno Sanches, que é também presidente da Associação Socioprofissional da Polícia Marítima (ASPMAR), assegurou que nenhum agente da sua corporação aderiu à greve.

“Por questão de coerência no posicionamento dualista, decidi demitir-me do cargo de vice-presidente do Sindicato Nacional da Polícia”, disse este responsável , que considera que não há fundamentos para a realização da greve de três dias e que não compactua com “essa farsa”, uma vez que, explicou, não trará nenhum beneficio para a classe.

Para Faustino Moreno Sanches, não é com greve nem manifestação que se resolve esta questão, e admite que a PN não tem nenhum motivo para levar adiante “esta farsa”.

Em declarações à imprensa, o presidente do Sindicato Nacional da Polícia (Sinapol), José Barbosa, disse que, apesar da requisição civil, a adesão à greve de três dias ronda os 99 por cento (%).

Entretanto, acusou o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, de “falta de respeito”, “deslealdade” e de “faltar com a verdade” com a classe, uma vez que não colaborou para que ambas as partes chegassem a um entendimento.

Para além da greve de três dias, os agentes a PN realizaram esta manhã uma manifestação que percorreu o bairro de Achada de Santo António, com passagem pelo Palácio do Governo e terminou no Platô, em frente ao Ministério da Administração Interna.

Por seu turno, o governante, que falava hoje, durante uma conferência de imprensa, na Cidade da Praia, assegurou que neste momento não há condições para atender ás reivindicações da PN , sendo que só neste ano, o Governo já investiu cerca de 400 mil contos a nível nacional, segundo adiantou o ministro

Entre as reivindicações constam o nivelamento salarial, a resolução dos pendentes (promoções e progressões) e a redução da carga horária entre outras.

AV/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos