Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Grace Évora abre hoje o segundo dia do KJF e a cantora brasileira Maria Gadu encerra a programação

 

Cidade da Praia, 14 Abr (Inforpress) – A IX edição do Kriol Jazz Festival (KJF) é retomada, esta sexta-feira a partir das 20:30 na Praça Luís de Camões, na Cidade da Praia (Plateau), com o artista cabo-verdiano Grace Évora a abrir o leque e a cantora brasileira Maria Gadu a encerrar a programação da noite.

Depois do arranque no dia 08 de Abril com “Zona Kriol”, cujo palco escolhido este ano foi a zona Fundo Cobon que acolheu actuações dos artistas Hélio Batalha, Silvano e Kala Jula e Fidjus de Codé de Dona, o KJF teve uma pausa para dar lugar ao Atlantic Music Expo que decorreu de 10 a 13 de Abril.

O segundo dia do KJF é pago à razão de 1500 escudos por pessoa, mas quem adquirir o ingresso por 2000 escudos terá direito à entrada livre num outro espectáculo a desenroral a seguir no palco de Kebra Canela, intitulado “Kriol Jazz AM by Sigui Sabura”, que vai contar com actuações dos artistas Jaixa e Boaz de Costa do Marfim e performance do DJ, Mo Laudi de África do Sul e de Banzi e Hebraico (Cabo Verde).

Maria Gadu é uma das artistas na linha de frente da Música Popular Brasileira (MPB), cantora e compositora, apresenta o seu álbum “Guelã”, o terceiro álbum da sua carreira, lançado em 2015, tendo sido indicado para o Latin Grammy na categoria de “Melhor Álbum de MPB”.

Maria Gadu assinou um contrato com a gravadora brasileira Slap Records depois de ter sido “descoberta” por Caetano Veloso, com quem fez a sua primeira digressão no Brasil, dando o pontapé de saída no impulso que a transformaria num dos nomes mais reconhecidos na nova música brasileira.

Já a americana de ascendência haitiana, Leyla McCalla canta em francês, crioulo haitiano e inglês e toca vários instrumentos, como violoncelo, banjo tenor e violão.

Profundamente influenciada pela música tradicional crioula e cajun do Estado americano de Louisianna, pela música tradicional haitiana e pelos géneros americanos, jazz e folk, Leyla está a promover o seu álbum “A Day for the Hunter, A Day for the Prey” que foi lançado no primeiro semestre de 2016 pela JazzVillage/Harmonia Mundi.

O Trio de jazz que surgiu em 2000, composto por Sylvain Luc (violão), André Ceccarelli (bateria) e Jean-Marc Jafet (baixo). O trio ganhou em 2003 o prémio de Melhor Orquestra Jazz do Ano Jazz nos Victoires du Jazz. Tem três álbuns gravados.

Ainda o trio de jazz africano nascido na Costa do Marfim Jaixi feat. Boaz. Nascido a 17 de Junho de 1980 na Costa do Marfim, o saxofonista Boaz Adou é desde cedo embalado pelas melodias do seu pai, guitarrista, que lhe ensina alguns acordes.

Jaixi é um trio de jazz africano nascido na Costa do Marfim. A sua música é uma mistura de melodias e ritmos africanos orquestrados por uma harmonia jazz, que resulta num estilo de fusão.

DJ Mo Laudi, vindo da África do Sul via Londres e, agora, Paris, Mo laudi é um DJ/MC/produtor pioneiro que tem estado na vanguarda do movimento afro-electro em Londres desde princípios da década de 2000. Ao longo dos anos, Mo Iaudi desenvolveu um estilo próprio, fundindo música electrónica de ponta e ritmos tradicionais africanos.

Grace Évora que é única voz a representar Cabo Verde hoje, é natural da ilha de São Vicente, e desde a sua infância demonstrou um grande interesse pela música, tanto com cantor quanto como baterista. O salto para a notoriedade aconteceu em 1989 no grupo Livity. Esta oportunidade levou-o a trabalhos com outros grupos como os Rabelados, Koladance, Cabo Verde Show e Splash!

Depois de 1993 ter cantado o tema “Bia”, no segundo álbum dos Livity, Grace apostou também numa carreira a solo. Tem alguns álbuns a solo, e um dos seus temas mais conhecidos é o “Lolita”. Depois de alguns singles recentes, em 2017 promete lançar um novo álbum.

Para dia 15 terceiro e último dia do evento estão agendados actuações de Elida Almeida (Cabo Verde), e ainda artistas de países como Estados Unidos da América (Spyro Gyra), Cuba (Roberto Fonseca Quartet), Gana (Pat Thomas e Kwashibu Area Band), Canadá (Topium) e Angola (Dj Satélite).

FM/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos