Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo vê nas ‘social bonds’ um meio para colmatar a falta de financiamento para projectos sociais

Cidade da Praia, 28 Mai (Inforpress) – O ministro da Família e Inclusão Social, disse hoje que as obrigações sociais (social bonds) a serem lançadas proximamente pela Bolsa de Valores podem ser um meio para colmatar a falta de financiamento dos projectos sociais.

Fernando Elísio Freire falava na abertura de um webinar realizado pela Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVC) sobre as obrigações sociais, destinado a todos os parceiros do mercado financeiro, no quadro das comemorações do seu 23º aniversário e da preparação para o lançamento das primeiras obrigações social em Cabo Verde.

Conforme o ministro, a sustentabilidade financeira das organizações da sociedade civil é um problema, de facto, real que limita a actuação das mesmas nas comunidades onde se inserem, assim como limita o número de beneficiários.

Segundo adiantou no mandato anterior (2016-2020) o Governo, através de um quadro regulamentado, transparente, público e criterioso aplicou cerca de 186 mil contos no financiamento de projectos apresentados pelas organizações da sociedade civil.

Contudo, salientou que apesar do todo o esforço orçamental feito pelo tesouro e pelos parceiros por forma a assegurar o financiamento a essas organizações da sociedade civil, seja através dos editais de concurso dos contratos-programa de subsidiação do seu financiamento, não foi possível satisfazer a todos.

“As ‘social bonds’ podem vir a dar respostas necessárias para ajudar a colmatar essa lacuna de financiamento do projectos de cariz social e alavancar a economia social e solidária nos moldes que o Governo propõe realizar ao longo desta legislatura”, considerou.

‘Social Bonds’, ou obrigações sociais, são títulos projectados especificamente para arrecadar recursos financeiros para iniciativas ou projectos com os impactos sociais como por exemplo a criação de emprego, construção de moradias de baixo custo, a saúde, a inclusão e oferta de educação acessível.

A Bolsa de Valores de Cabo Verde, segundo o administrador, Edney Cabral está empenhada em promover instrumentos inovadores que promovam a sustentabilidade, como são os casos das obrigações sociais, as obrigações verdes, obrigações azuis atendendo à maior resiliência e competitividade destes instrumentos, mas também respondendo à procura crescente de investidores por instrumentos que integram factores de desenvolvimento sustentável.

A BVC está neste momento a preparar o lançamento das primeiras obrigações sociais em Cabo Verde e no decorrer deste webinar deve assinar um protocolo com a Associação Comunitária Amigos de Safende (ACAS).

Segundo o presidente da Bolsa, Miguel Monteiro, será uma ‘social bond blue’, ou seja, obrigação social azul, já que uma parte do financiamento a ser mobilizado será canalizada para o financiamento dos negócios virados para o mar.

MJB/HF

Inforpress/fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos