Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo vê com bons olhos compra da operação Binter em Cabo Verde pela BestFly

Cidade da Praia, 06 Jul (Inforpress) – O Governo disse hoje ver “de forma positiva”, com “muita confiança” as soluções adoptadas para melhorar, de forma substancial, os transportes aéreos interilhas, nomeadamente, a compra da operação Binter em Cabo Verde pela BestFly.

Tais declarações foram proferidas à imprensa pelo vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, hoje no final da reunião do Conselho de Concertação Social que esteve reunido para analisar o Orçamento de Estado Rectificativo para o ano de 2021.

“O Governo olha para isto de forma positiva, porque é um outro investidor a comprar uma empresa que é de direito cabo-verdiano. Uma empresa está aqui a operar, que tem trabalhadores, que tem uma marca e que, portanto, tudo aquilo que vai no sentido de valorizar as marcas já existentes e evitar o desemprego e permitir que as operações continuem é positivo para o Governo e é positivo para o sector dos transportes”, disse.

Segundo Olavo Correia, o Governo, embora não sendo parte directa neste negócio entre dois privados, olha para isto com muita confiança em relação às soluções que precisamos para melhorarmos de forma substancial os transportes aéreos inter ilhas.

Questionado se a BestFly se assume como melhor parceiro em relação às outras soluções já conhecidas, o ministro respondeu que “não vale a pena fazer aqui avaliação”.

“Eu penso que o parceiro Binter já saiu, já entrou um novo parceiro, já comprou a TICV… Vamos avaliar e fazer de tudo para que esta operação tenha sucesso. Do lado do Governo isto é que é importante para que possamos ter melhores condições ao nível das operações para que as ligações inter ilhas sejam feitas de forma mais regular, com mais conforto, com muita segurança e a um peço também cada vez mais competitivo e mais acessível para os cabo-verdianos”, sublinhou.

Ainda nas suas declarações, Olavo Correia, ressaltou que Cabo Verde, enquanto país arquipelágico, precisa de mobilidade para se desenvolver, até como uma questão de direito de todos para poderem mover-se de uma ilha para a outra, em condições de segurança, regularidade e de previsibilidade. 

“Estamos muito empenhados em que isso aconteça e da nossa parte, do Governo, tudo faremos para que as empresas que operem em Cabo Verde, seja em que sector for, tenham sucesso e o sucesso dessas empresas é também o sucesso de Cabo Verde”, disse.

Questionado se está sobre a mesa a possibilidade de apoio financeiro do Estado à BestFly, Olavo Correia respondeu que tal prática só acontece no contexto de serviço público.

“Nós nunca demos apoio financeiro à Binter. Apoio será só no conceito de serviço público que será devidamente regulado por lei para as rotas que não são rentáveis em que o Estado querendo promover a mobilidade interna possa assumir os custos”, finalizou. 

GSF/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos