Governo vai delinear um programa para dar respostas a situação das vendedeiras do mercado

Cidade da Praia, 11 Jan (Inforpress) – O Governo vai desenhar um programa que vai dar respostas e melhorar a situação das vendedeiras do mercado, afectadas pela pandemia da covid-19, anunciou hoje o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

O chefe do Governo, que falava aos jornalistas, esta tarde, depois de se reunir com as vendedeiras do mercado do Platô, no âmbito das medidas para os operadores do sector informal, previstas no orçamento de Estado 2021, assegurou que a ideia é abranger todas as vendedeiras do mercado do Platô e do Sucupira.

“Tendo em conta a situação das dificuldades relacionadas com a pandemia da covid-19, acabamos por assumir um compromisso para desenharmos um programa dirigido às vendedeiras do mercado do Platô, mas posteriormente iremos fazer com as vendedeiras do mercado do Sucupira perante ao conjunto de instrumentos que temos na protecção social”, mencionou.

A ideia, segundo o primeiro-ministro, é dar respostas a nível do rendimento social de inclusão para as famílias das vendedeiras que ainda não beneficiaram desde programa, com possibilidade de acesso à formação profissional para os filhos, com kits de empreendedorismo de pequenos negócios e ainda subsidiação para ensino pré-escolar.

“Estamos a falar também de programas de cuidados para idosos, pessoas com deficiências e crianças, vamos definir e implementar aquilo que já existe para a situação concreta das vendedeiras no mercado”, referiu, sublinhando que a ideia é melhorar a situação dessas mulheres chefes de famílias que viram os seus rendimentos afectados pela pandemia da covid-19.

Ulisses Correia e Silva admitiu que nem todas as vendedeiras tiveram acesso ao subsídio de 10 mil escudos atribuído pelo Governo no âmbito da pandemia da covid-19, mas assegurou que nos próximos dias será feito um trabalho de levantamento para avaliação da situação de cada uma das vendedeiras, para contemplar aquelas que ainda não receberam nada.

Helena Semedo, uma das vendedeiras, adiantou que os problemas do mercado estão relacionados com a limpeza da estrutura, cobrança da taxa, saída e entrada de produtos, e arrumação, que segundo a mesma dizem respeito a câmara municipal, mas foram partilhados com o Chefe do Governo.

Revelou que muitas das vendedeiras não receberam o subsídio de 10 mil escudos que durante o período da pandemia viram o seu rendimento diminuir.

Por seu turno, a jovem vendedeira Cleidira Freire, que louvou a iniciativa, disse esperar que o Governo apoie mais a juventude, sublinhando que muitos, como a própria, pararam de estudar, por falta de recursos.

AV/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos