Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo vai comunicar nos próximos dias “a abertura ou não” de mais um período de lay off – Olavo Correia (c/áudio)

Cidade da Praia, 07 Jan (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, disse hoje que a questão da continuidade ou não do lay-off está a ser analisada pelo Governo e indicou que nos próximos dias a decisão será comunicada ao País.

O governante, que falava em conferência de imprensa na Cidade da Praia, para apresentar “aspectos relevantes” do Orçamento do Estado para 2022, garantiu, entretanto, que as empresas e os empresários, “seguramente”, continuarão a contar com o apoio do Governo e com instrumentos que estão a ser ultimados.

“Vamos apresentar um plano de retoma económica nos próximos dias com novos instrumentos e novas medidas para apoiar as empresas e o sector privado nesse esforço de retoma económica que é fundamental para as empresas, mas particularmente importante para o nosso País e para os trabalhadores cabo-verdianos”, sintetizou o governante.

Medida excepcional e temporária de protecção dos postos de trabalho, adoptada pelo Governo no âmbito da pandemia da covid-19, e implementada pelo Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), o regime de suspensão temporária do contrato de trabalho (lay-off) garantiu 70% do salário aos trabalhadores que estiveram em casa devido à suspensão das actividades nas empresas onde laboram.

A medida começou a ser implementada em Abril e foi renovada por sete vezes.

Até Dezembro de 2020 os 70% eram divididos em partes iguais pela entidade empregadora e pelo INPS.  

A partir de Janeiro de 2021, altura em que arrancou o quarto período do lay-off, manteve-se o pagamento dos 70% do salário bruto aos trabalhadores, mas diminuiu-se o encargo das empresas de 35% para 25% desse total, assumindo o INPS os restantes 45%.

De acordo com dados disponibilizados à Inforpress pelo INPS, através do Gabinete de Qualidade e Comunicação,  o regime de suspensão temporário de contrato de Trabalho que vigorou até 31 de Dezembro de 2021, beneficiou mais 18 mil trabalhadores e custou ao INPS mais de de 2,7 mil milhões escudos.

Um total de 1.583 empresas, na sua maioria das ilhas do Sal, Boa Vista e Santiago foram abrangidas pela medida que deixa de vigorar a partir deste sábado, 01 de Janeiro de 2021, motivada pela situação de retoma económica. 

O Governo avalia de forma “muito positiva” a implementação dessa medida, já que do balanço feito da penúltima fase o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, afirmou que o lay-off serviu para salvar milhares de postos de trabalho.

MJB/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos