Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo “totalmente disponível” para resolver todos os problemas da classe vigilante – diz SIACSA (c/áudio)

Cidade da Praia, 26 Jun (Inforpress) – O Governo está “totalmente disponível” para resolver todos os problemas da classe vigilante, principalmente a nível da implementação salarial, afirmou hoje o presidente da SIACSA, Gilberto Lima.

Em conferência de imprensa, na Cidade da Praia, para informar sobre o resultado final da negociação com o Governo relativa à situação laboral dos vigilantes das empresas de segurança privada, o sindicalista revelou que há outros encontros para a definição do salário base, que vai entrar no Orçamento de Estado de 2020.

“Estivemos reunidos (18 a 23 de Maio) com o vice-ministro, as empresas e os três sindicatos que rubricaram o Acordo Colectivo de Trabalho (ACT) e indicamos 12 medidas que permitem colocar as coisas no seu devido lugar com relação aos salários dos vigilantes e o indicativo de referência para a mudança de postos de 24 horas”, informou.

Gilberto Lima defendeu que com essa disponibilidade do Governo há um “novo alento” para a classe de vigilantes, não obstante ter havido muita espera e “situações adversas” com pessoas que tentaram perturbar a negociação com o Governo.

Avançou que o próximo passo é reunir com as empresas tendo o indicativo de 16.633 escudos como salário base e um subsídio que vai ser indexado ao salário base, perfazendo um total de 19.028 escudos.

“É nesta base que vamos propor brevemente uma reunião com as empresas para podermos entregar ao Governo e mandar publicar a Portaria de Extensão”, acrescentou Gilberto Lima, garantindo que os três sindicatos (SIACSA, SISCAP e SIAP) estão optimistas, o Governo disponível e as empresas de acordo com os termos de referência.

O presidente do SIACSA informou ainda que os três sindicatos vão reunir-se com a Associação Nacional das Empresas de Segurança Privada (ANESP) para definir a questão da grelha salarial que vai ser entregue ao Governo.

OM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos