Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo tem cumprido com políticas do planeamento familiar e acesso à saúde sexual e reprodutiva, ministro (c/áudio)

Cidade da Praia, 13 Jul (Inforpress) – O ministro da Saúde disse hoje que o Governo tem cumprido com políticas do planeamento familiar e acesso à saúde sexual e reprodutiva de forma “positiva”, visando com isso proteger a população, sobretudo, a mais vulnerável.

Arlindo do Rosário, que falava à imprensa, após uma visita efectuada ao Serviço de Saúde Reprodutiva/Planeamento Familiar do Centro de Saúde da Achada de Santo António, no âmbito da celebração do Dia Mundial da População, assinalado no dia 11, adiantou que a isenção das taxas moderadas neste serviço tem perspectivado melhorias ao acesso, às pessoas mais vulneráveis e ao serviço de saúde sexual e reprodutiva.

“Os indicadores mostram que a política do Governo está no caminho certo na cobertura do pré-natal e uso de métodos contraceptivos modernos. Enfim, todos os indicadores da saúde reprodutiva em Cabo Verde estão em alta e mostram melhorias ao longo dos anos”, destacou.

O governante que considera que a educação tem um “papel fundamental” para a melhoria e procura dos serviços de saúde sexual e reprodutiva, justificou essa afirmação com o facto de a instrução trazer consigo a literacia, o empoderamento e a capacidade de decisão.

Arlindo do Rosário que se referiu sobre a necessidade de se pensar em políticas voltadas para o fomento ao emprego para população activa, reconheceu a existência de desafios face ao envelhecimento da população que podem vir a pesar nas doenças crônicas transmissíveis e não transmissíveis. 

O diretor nacional do Plano, Gilson Pina, que realçou os dados estatísticos sobre a população, evidenciou, no seu discurso, o comportamento do rácio da dependência, alegando que isto “nos motiva a preocupar ou senão a nos alertar para os passos futuros”.

“Esta situação coloca desafios acrescidos para o país nos próximos anos já que devemos continuar a criar condições para reter a população e desenvolver o capital humano, que, no nosso caso, é considerado como o principal recurso dinamizador do processo de desenvolvimento e acelerador dos ODS”, disse, sublinhado, por outro lado, que tal situação deve levar o país a repensar o planeamento estratégico no que tange às políticas sobre a população.

Feito isso, defendeu ser de “extrema importância” a implementação de políticas económicas e sociais sincronizadas em prol do crescimento da produtividade, da qualidade do capital humano, da performance do sistema de saúde e da sustentabilidade dos regimes de protecção social, tendo em atenção o crescimento cada vez menor do Rácio de Suporte Económico, que testemunha o facto de o país estar a perder o seu potencial de dividendos demográficos.

“Assim sendo, é urgente a implementação de políticas para aproveitar convenientemente o actual ‘bónus demográfico’ e preparar-se para reduzir o ‘ônus demográfico’ que teremos mais à frente”, encorajou.

O representante do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), Steven Ursino, ao ler a mensagem da directora da FNUAP, Natália Kanem, reiterou o “orgulho” do escritório em ser parceiro de Cabo Verde nas diferentes etapas do processo de desenvolvimento e em saber que contribuiu para os resultados alcançados em matéria de saúde sexual e reprodutiva.

“Esses resultados permitem a cada mulher e homem, jovem e adolescente, viverem a sua vida sexual e reprodutiva baseada em direitos que lhes possibilitam fazer escolhas sobre quando e como constituir a sua família”, observou.

Na sua mensagem alusiva à data, Natália Kanem afirmou que o que leva a existência de uma sociedade saudável e produtiva é quando as mulheres podem fazer escolhas informadas sobre sua saúde sexual e reprodutiva e quando têm acesso a serviços para apoiar as suas escolhas.

“A mulher que tem controlo sobre seu corpo ganha não só em termos de autonomia, mas também com avanços em saúde e educação, renda e segurança. Ela tem mais chances de prosperar, assim como sua família”, finalizou.

O Dia Mundial da População se assinalou este ano sob o tema “Direitos e escolhas são a resposta: quer seja explosão demográfica (baby boom) ou diminuição, a solução está em priorizar a saúde reprodutiva e os direitos de todas as pessoas” tendo a UNFPA chamado a atenção pela consciencialização das necessidades de saúde sexual e reprodutiva das pessoas e para as necessidades e vulnerabilidades de mulheres e meninas em meio à pandemia global.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos