Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo reafirma “compromisso de criar múltiplos incentivos” para estimular as empresas 

Cidade da Praia, 18 Nov (Inforpress) – O ministro do Turismo e Transportes reafirmou hoje que o Governo assumiu o “compromisso de criar múltiplos incentivos” para estimular os empresários dos pequenos alojamentos turísticos e promover o programa de certificação dos estabelecimentos.  

Carlos Santos fez esta intervenção na Cidade da Praia, durante a cerimónia de entrega oficial dos primeiros certificados aos Pequenos Alojamentos Turísticos (PAT), e de apresentação do portal da certificação enquadrada nas comemorações alusiva ao Dia Mundial da Qualidade, assinalado no dia 11.

O programa de certificação de pequenos alojamentos turísticos esta enquadrado no projecto de Competitividade para o Desenvolvimento do Turismo, financiado pelo Banco Mundial, sob coordenação do Instituto da Gestão da Qualidade e Propriedade Intelectual (IGQPI), em “estreita colaboração” com o Instituto de Turismo de Cabo Verde (ITCV).  

Tem como objectivo promover um sector turístico “competitivo e diversificado”, com base na “nova fase de crescimento sustentado e inclusivo” do País, através da melhoria da qualidade dos serviços prestados pelos PAT, numa perspectiva para que estes sejam integrados na oferta “diversificada e competitiva”, que se pretende dotar, e posicionem como “uma alternativa competitiva e de qualidade” no mercado turístico.

Na ocasião, o governante avançou que se trata de um “importantíssimo instrumento” para a afirmação do destino Cabo Verde, “ainda incipiente”, mas que deve ter na diferenciação a estratégia maior para competir com os grandes que actuam neste “gigantesco mercado” espalhado pelos quatro cantos do mundo.  

“Estamos cientes de que o impacto da pandemia da covid-19 no sector do turismo a nível global, de 2020 aos dias de hoje, continua tendo efeitos calamitosos na economia nacional, com a redução do PIB, no número de turistas, de empregos e de receitas turísticas”, apontou.  

Segundo o ministro, os desafios que se impõem são desafiadores para a retoma do turismo aos níveis registados em 2019, e as previsões dessa recuperação apontam para meados de 2024.  

“Estamos convictos que o caminho da qualidade e da certificação deve ser encarada como um instrumento essencial e determinante na escolha daquele que nos visita para esta nova fase em que a segurança sanitária deverá ser uma variável incontornável”, sustentou.  

Avançou que no programa do Governo consta um conjunto de compromissos para retoma e crescimento sustentável do turismo, com impacto directo e indirecto na melhoria de qualidade dos serviços prestados, não só na hotelaria, mas também noutros sectores do turismo, confluindo com uma estratégia de gestão integrada de desenvolvimento do destino Cabo Verde.  

Posicionar o País como um destino turístico seguro do ponto de vista sanitário, apostar em produtos de turismo residencial com a emissão de ‘green cards’ e valorização turística e ambiental das aldeias rurais são alguns dos compromissos assumidos e que consubstanciam a visão do Governo para uma gestão integrada da qualidade do destino nacional. 

AV/Inforpress

Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos