Governo quer um Sistema Nacional de Saúde mais robusto, eficaz e próximo da população

Cidade da Praia, 28 Abr (Inforpress) – O secretário de Estado-adjunto do ministro da Saúde, Evandro Monteiro, afirmou hoje que o Governo vem reforçando progressivamente o Sistema Nacional da Saúde, de modo que a seja mais robusto, eficaz e próximo da população.

Essas afirmações foram avançadas hoje por Evandro Monteiro, à margem do ateliê de socialização da proposta de diploma sobre a redução do consumo do sal, açúcar e gorduras promovido hoje pelo Ministério da Saúde.

O propósito do evento, segundo disse, é buscar dar respostas delineados por este Ministério relativamente ao controlo dos factores de risco das principais causas de morbilidade e mortalidade em Cabo Verde, ou seja, as doenças crónicas não transmissíveis e suas complicações.

“Estrategicamente o nosso Sistema Nacional de Saúde vem-se reforçando progressivamente, cada vez mais, com reforço para termos um SNS ainda mais robusto, eficaz, responsivo, universal e próximo da população que se pretende”, salientou.

Para isso, considerou ser necessário o reforço na promoção da Saúde, consequentemente, na prevenção da doença, no reforço do empoderamento técnico e científico da população, ou seja, na literacia em Saúde, para que, em consciência, possam actuar nas respostas para a saúde colectiva.

“O foco é essencialmente com vista à redução de mortes prematuras e previsíveis, sobretudo na mudança e na adopção de estilos de vida saudáveis, mas também no reforço continuado das nossas capacidades técnicas de resposta a nível das nossas estruturas de Saúde de actuação primária, como também as hospitalares”, sublinhou.

Segundo adiantou o secretário de Estado-adjunto do ministro da Saúde, em Cabo Verde por cada 100.000 habitantes há cerca de 158 óbitos causados pelas doenças cardiocerebrovasculares e cerca de 62 por cancro.

Neste sentido, indicou que a visão do Governo prende-se no reforço das capacidades de intervenção e de diagnóstico também das complicações ligados às doenças crónicas não transmissíveis (DCNT), as principais causas de morte em Cabo Verde actualmente, mas reforçado também na legislação para que sejam, desde logo, salvaguardados os caminhos estratégicos orientadores para os desafios e alcançar as metas.

Conforme este responsável, Cabo Verde criou e está em continuidade a criar centros laboratoriais de diagnósticos em quase todas as estruturas de Saúde do País, destacando melhoramentos progressivos em serviços e equipamentos de imagiologia, incluindo tomográficos, associado ao reforço dos recursos humanos.

Contudo, afirmou que a participação, em sinergia e multissectorial, com outros actores nomeadamente ONG, associações comunitárias e da sociedade civil, assim como outros ministérios que, de forma transversal, influenciam nas respostas, é determinante para se alavancar os caminhos necessários de empoderamento e conhecimento técnico da população.

ET/HF

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos