Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo quer tirar maior proveito da posição geoestratégica de Cabo Verde

Cidade da Praia, 06 Jul (Inforpress) – O Governo quer tirar maior proveito da posição geoestratégica de Cabo Verde com a transformação do país numa plataforma de prestação de serviços úteis ao mundo, nesta zona do Atlântico.

Esta intenção foi reforçada hoje pelo ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades e ministro da Defesa, Luís Filipe Tavares, na abertura do debate estratégico “Defesa e Segurança”, promovido pela Direcção Nacional do Planeamento, no âmbito do Exercício Cabo Verde Ambição 2030.

Luís Filipe Tavares afirmou que em toda a história de Cabo Verde, o país posicionou-se geo-estratégicamente uma única vez, quando construiu o aeroporto internacional do Sal, antes da independência nacional.

“Pela primeira vez nós tiramos partido da nossa posição e localização geográfica. Na altura fazia muito mais sentido, porque não havia voos intercontinentais, os aviões eram obrigados a fazer escala técnica de quatro em quatro ou cinco em cinco horas. Hoje não é o caso, mas continua a ser muito importante a utilização do aeroporto do Sal pelas questões de geoestratégia e geopolítica mundial”, explicou.

Contudo, adiantou Luís Filipe Tavares, desde então não houve nenhum facto importante de que o país esteja a valorizar a sua a posição geoestratégica a nível do país ou da sub-região.

E como forma de reverter esse quadro, avançou que o actual executivo está a trabalhar para tirar todas as vantagens que essa posição geográfica oferece, para proveito próprio e para servir a humanidade.

“Essa ideia que está subjacente ao exercício Cabo Verde Ambição 2030 de transformar o nosso país numa plataforma de prestação de serviços no Atlântico, é uma ideia geoestratégica. É a potenciação da localização geográfica de Cabo Verde no concerto das nações”, salientou.

“Quando falamos que Cabo Verde está na encruzilhada dos países e dos continentes é exactamente isso. Estamos a dar substância à ideia de que Cabo Verde tem uma posição geoestratégica importante. Vamos potenciar a nossa localização geográfica no mundo para servirmos a humanidade, sermos um país útil à humanidade” acrescentou.

O objectivo, segundo o governante, é de apostar na transformação de Cabo Verde numa plataforma de prestação de serviços, plataforma financeira, plataforma tecnológica, hub aéreo, com a valorização dos recursos humanos.

Na abertura do debate interveio também o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha.

Ao longo do dia vários temas vão ser apresentados e debatidos, nomeadamente, “o contexto securitário de Cabo Verde: análise e realização das ameaças e riscos”, “conceitos estratégicos de segurança e defesa: directrizes e acções estratégicas”, “Políticas públicas de segurança em Cabo Verde” e “Mecanismos de respostas e mitigação de catástrofes naturais”.

MJB/HF

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos