Governo quer reforçar capacidade de investimentos dos municípios no Orçamento de Estado de 2023

Porto Inglês, 08 Set (Inforpress) – O primeiro-ministro anunciou, esta quarta-feira, que o Governo está a trabalhar em parceria com os municípios para aumentar a capacidade de investimento dos mesmos, através da criação de um mecanismo facilitador no Orçamento de Estado para 2023.

Segundo Ulisses Correia e Silva a criação desse mecanismo facilitador de investimentos, em termos de custos e garantias para o financiamento municipal, irá melhorar a capacidade de resposta dos mesmos.

“Para além da parceria entre o Governo e os municípios, que os municípios também tenham capacidade de investir nas mesmas condições em que o Governo vai ao mercado fazer investimento, taxas de juros muito mais baixas, com garantia e linhas de crédito favoráveis ao investimento numa discriminação positiva aos municípios com população inferior a 15 mil habitantes”, declarou.

Informou ainda que o executivo está a trabalhar na implementação de serviços públicos por forma a viabilizar o sector dos transportes, contemplando, de uma forma particular, as ilhas com pequena população e baixa actividade económica.

Esses mecanismos revelou, estão a ser trabalhados e finalizados para criar maiores condições de conectividade entre essas ilhas, frisando que de nada adianta investir em infra-estruturas se não houver conectividade entre as ilhas.

“Estou a falar de São Nicolau, do Maio, da Boa Vista e da Brava e esses mecanismos estão a ser trabalhados e finalizados para criar condições de maior conectividade entre essas ilhas, não basta haver portos, transportes se não temos conectividade e vamos dar atenção especial às ilhas com problemas de pequena dimensão populacional especificou, ressaltando que, apesar dos efeitos das crises, o Governo está a trabalhar na criação de melhores condições de vida dos cabo-verdianos.

Adiantou ainda que a equipa governativa está a trabalhar na criação de programas específicos que garantam a manutenção de quadros nas suas respectivas ilhas, que enfrentam a problemática da fuga ou retenção dos quadros profissionais.

CM/Fim

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos