Governo quer que incremento de veículos eléctricos seja articulado com a transição energética

Cidade da Praia, 06 Ago (Inforpress) – O Governo quer que o incremento de veículos eléctricos seja articulado com a transição energética, disse hoje o ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, após uma visita efetuada à Empresa de Electricidade e Água (Electra).

“O objectivo é ter mais energias renováveis e levar também as energias renováveis para a mobilidade, para o sector dos transportes”, disse o governante, completando que se mantém o horizonte até 2050 para haver em Cabo Verde 100 por cento (%) de veículos elétricos e, a partir de 2035, se começar o processo de interdição de importação de veículos convencionais, conforme consta na carta de políticas aprovada pelo Governo há cerca de dois anos.

Alexandre Monteiro afirmou ainda que há por volta de 30% de energia produzida no País por entidades privadas, conectadas também na rede como produtores independentes e estão ainda previstas instalações de mais unidades de produção renováveis, também investimentos privados.

“É nossa intenção chegar a 2030 com superior a 50%. Precisamos de investir nessa área”, acrescentou o governante que anunciou um novo figurino do sector energético que resulta da necessidade de adaptação à nova realidade.

Ou seja, trata-se da divisão na vertical Electra em termos de comunidade de produção, que vai passar a ter uma empresa de produção de electricidade, outra para a distribuição de electricidade e uma terceira a assumir o papel de um operador nacional do sistema eléctrico que vai fazer a intermediação entre a produção e a distribuição e que também vai funcionar como comprador universal das energias renováveis produzidas pelos produtores independentes que estão instalados no País.

“Com essa separação vai permitir mais participação de privados no sector da produção, através da própria participação na privatização na unidade de produção da electricidade da Electra com o objectivo de aumentarmos a nossa eficiência operacional do sistema eléctrico, melhorar a qualidade de serviço, tudo isso com trazer algum benefício aos consumidores”, defendeu.

O ministro da Indústria, Comércio e Energia frisou que se trata de um processo suportado por estudos, ainda em curso e que, inclusive, esta decisão de separação funcional foi baseada em estudos apoiados por assistências técnicas especializadas.

“Nós consideramos que ainda nesse início de legislatura conseguiremos preparar o quadro necessário para se avançar com a participação de privados nessas áreas. Comprometer um prazo exacto é algo que não depende só de nós, há um quadro de incertezas ainda em relação ao mercado”, acautelou.

Alexandre Monteiro ressaltou ainda que o estado de emergência, decretado por causa da pandemia, atrasou alguns projectos que poderiam estar mais avançados, mas que alguns já foram retomados e com “um ritmo acelerado” para a sua recuperação.

“Inclusive o Projecto de implementação da Carta de Política, vamos concluir a primeira fase já entre os meses de Agosto e Setembro para se iniciar em Outubro a segunda fase do projecto que é onde vamos começar a conceder incentivos financeiros na aquisição de veículos elétricos”, disse.

O ministro afirmou ainda que há processos em curso para também os transportes coletivos de passageiros, “bastante avançados” com os operadores nessa área, os autocarros, e um conjunto de incentivos para se começar a massificação e entrada progressiva de veículos eléctricos que já é uma realidade hoje em Cabo Verde e que se quer continuar a sua execução.

GSF/DR

Inforpress/Fim 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos