Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo quer “parceria forte” com organizações da sociedade civil na luta contra a pobreza extrema

Cidade da Praia, 07 Jan (Inforpress) – O primeiro-ministro destacou hoje o papel das organizações da sociedade civil na redução das desigualdades sociais, realçando que o Governo quer estabelecer um compromisso forte com as mesmas na luta contra a pobreza extrema em Cabo Verde.

Ulisses Correia e Silva fez estas declarações à imprensa, à margem de uma visita que efectuou hoje às instalações da Plataforma das Organizações não Governamentais (ONG) no âmbito do programa Mobilização pela Aceleração da Inclusão Social (MAIS).

Segundo realçou, o Governo quer reforçar a parceria com as associações e organizações da sociedade civil enquanto intervenientes activos, por entender que só o Estado não consegue dar respostas aos desafios que o país enfrenta no que se refere à redução da pobreza absoluta e eliminação da pobreza extrema.

Destacou o contributo que as organizações podem dar na concretização dos objectivos estabelecidos pelo Governo nesta matéria, ressalvando que as mesmas podem potenciar ainda mais os projectos, criando oportunidades de ascensão económica das famílias actuando em diversos níveis de intervenção

“Estou convencido que esta dinâmica criada depois, com instrumentos adequados, com previsibilidade e estabilidade nas relações e com recursos alocados podemos atingir os objectivos que pretendemos”, afirmou.

Por seu turno, o presidente da Plataforma das ONG, Jacinto Santos, enalteceu a iniciativa do Governo em criar o projecto MAIS e manifestou total apoio da organização na implementação e concretização dos objectivos na luta contra a pobreza extrema em Cabo Verde.

“Este é um ponto muito importante, diria até crucial, no momento em que as organizações da sociedade civil enfrentam problemas de sustentabilidade para poderem desenvolver na normalidade suas actividades. O programa MAIS que é um programa público é uma oportunidade para as organizações da sociedade civil darem a sua contribuição na efectivaçao numa parte substancial deste programa”, afirmou.

Este responsável lembrou que as organizações da sociedade civil estão fortemente implantadas em vários domínios sociais, afiançando que a Plataforma das ONG irá trabalhar na criação de um programa para uma melhor articulação e o enriquecimento dos projectos específicos.

“O nosso foco é participar na erradicação da pobreza extrema, são 115 cabo-verdianos, portanto um projecto desta natureza não pode ter menos de 100 mil contos para colocar a disposição das organizações da sociedade civil, para dar continuidade aos sectores considerados prioritários”, frisou, apontando a necessidade de criação de um fundo para a execução das acções preconizadas.

Prometeu ainda que a Plataforma das ONG no quadro desta parceria com o Governo, irá desenvolver acções de sensibilização para que as organizações possam trabalhar em conjunto, desenvolver projectos em conjunto, visando garantir a eficiência em termos da aplicação de recursos e em termos do impacto das pessoas a serem beneficiadas.

No passado mês de Dezembro, Ulisses Correia e Silva visitou as igrejas Católica, Nazareno e Adventista do Sétimo Dia no âmbito do projecto MAIS e para conhecer in loco os projectos sociais que as referidas entidades religiosas têm desenvolvido na redução da pobreza extrema em Cabo Verde.

CM/MJB
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos