Governo quer melhorar cada vez mais as condições de vida dos militares – ministro da Defesa (c/áudio)

Espargos, 22 Fev. (Inforpress) – O ministro da Defesa, Rui Figueiredo, assegurou hoje, na ilha do Sal, onde se encontra de visita à 2ª Região Militar, que o Governo quer melhorar “cada vez mais” as condições de vida dos militares.  

Com esta visita à 2ª Região Militar, no Sal, Rui Figueiredo termina, assim, o seu périplo às diferentes regiões militares do País, com a finalidade de conhecer a realidade de cada uma delas.

Na unidade “António Lopes”, patrono das Forças Armadas na ilha do Sal, o governante foi recebido com honras militares e desfile da força em parada, tendo depois assistido ao briefing feito pelo comandante da 2ª Região Militar, Major João Alípio Monteiro.

Rui Figueiredo que recentemente assumiu as pastas da Defesa, e que pela primeira vez, efectua visita à ilha nesta qualidade, teve também oportunidade de uma visita guiada às instalações deste comando militar, desde casernas da Polícia Militar, caserna da CAC/CAS, enfermaria, ginásio, refeitório/cozinha, vagomestria, oficina auto, lavandaria, e visita à unidade de operações especiais.

À margem da visita, Rui Figueiredo disse em declarações à imprensa, que o Comando da 2ª Região Militar é uma região importante pelos desafios, a sua história, e  “sobretudo”, pelas perspectivas, enquanto Governo, para melhorar cada vez mais as condições dos militares.

“O major João Alípio Monteiro nos deu provas do dinamismo e de toda a eficácia com que esta região militar está a desempenhar as suas funções. O Governo continua disposto, interessado e mobilizado para que as condições de vida dos militares sejam as melhores para que possam cumprir as suas funções de melhor forma”, reiterou.

Considerando que a melhoria das condições de vida dos militares é um aspecto “importantíssimo”, o titular da pasta da Defesa, referindo-se a várias obras de reabilitação naquele quartel, apontou, entretanto, outros desafios da instituição castrense, que se prendem, nomeadamente com os recursos humanos, com a formação dos militares.

“Mas temos em conta que estes desafios estão a ser vencidos com determinação”, frisou.

Já no fim do mandato, questionado que atenção se poderá dar aos desafios que ainda se colocam a esta região militar, Rui Figueiredo respondeu que o Governo, e o seu antecessor Luís Filipe Tavares tiveram oportunidade de “fazer muito” pelas Forças Armadas.

“A questão legal das reformas teve que ser feita, o estatuto dos militares foi aprovado, que melhorou, consideravelmente, a situação salarial (…), mas também investimentos que têm sido feitos com recursos do Orçamento do Estado, e com uma gestão criteriosa pelo Chefe de Estado-Maior, o Major-General Anildo Morais, com toda a equipa tem sabido fazer quase milagres com os fracos recursos de que o País dispõe”, explicou.

“Mas que nesta recta final estamos a colher alguns frutos e iremos continuar a incentivar. Há questões concretas que irão ser tidas em devida conta. Teremos acções concretas que podem ser feitas e que nós levamos na agenda para que o Governo possa anunciar. Podem parecer menos importantes, mas são de grande utilidade para as nossas Forças Armadas”, concluiu.

SC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos