Governo quer financiar projectos das igrejas relativos a prevenção da criminalidade

Cidade da Praia, 03 Mai (Inforpress) – A ministra da Justiça disse hoje, na Cidade da Praia, que o Governo pretende financiar as igrejas que desenvolvem projectos concretos, relativos à prevenção da criminalidade, integração e reinserção social dos reclusos.

O objectivo desses encontros com as igrejas é, segundo Joana Rosa, promover debates e partilhas daquilo que é a preocupação do Ministério da Justiça, a criminalidade associada também na parte relacionada com a reinserção social.

Joana Rosa falava à imprensa à margem do encontro que visa debater a contribuição da Igreja do Nazareno na prevenção e combate à criminalidade na Cidade da Praia.

“O que pretendemos é ter projectos concretos das igrejas que o poder público, o Estado e o ministério de justiça e da família, poderão financiar. Vamos desenvolver projectos para que possamos trabalhar a prevenção contra a criminalidade e restituir a paz social às comunidades (…)”, disse a governante.

Segundo a responsável, a ideia é desenvolver projectos sobre a integração e reinserção social, isto é, trabalhar na preparação do recluso para “uma vida digna” na comunidade, que passa por acesso ao emprego, formação profissional e empreendedorismo.

 “É por isso que queremos envolver, as igrejas as associações comunitárias, ONG, os municípios também para que possamos juntos trabalhar na execução do plano nacional de reinserção social que visa envolver essas instituições para que possam apresentar projectos concretos, mas também da parte espiritual referente às igrejas  para que possamos trabalhar os reclusos, trabalhar as famílias também arranjar soluções para o grande mal principalmente aqui na Praia neste momento que tem a ver com criminalidade”, salientou.

Apontou a necessidade de reduzir a elevada taxa de reincidência criminal, que é também o caminho para redução da criminalidade, destacando também a importância de se trabalhar na prevenção.

Destacou ainda a necessidade de se desenvolver um trabalho junto dos agentes de segurança prisional adoptando-lhes formação e tratamento psicológico, tendo sublinhado que o Governo está a trabalhar na informatização para fazer uma gestão dos estabelecimentos prisionais de forma mais correcta.

Na ocasião, informou ainda que o Governo está a trabalhar na extinção da comissão dos direitos humanos, e que a provedoria da Justiça já exerce funções em termos daquilo que são competências em matéria de direitos humanos, e será adoptado de mais meios de trabalhos, pelo que se terá uma instituição a trabalhar de forma “verdadeiramente independente”.

 Por seu lado o superintendente da Igreja de Nazareno, David Araújo, adiantou que a  Igreja de Nazareno trabalha há muitos anos com os reclusos,  com a primeira missão da igreja que é espiritual, mas também com a parte social, e outras razões que levam a de delinquência, nomeadamente a desigualdade social, falta de oportunidades, família sem estrutura básica.

Neste momento, sublinhou, a igreja desenvolve projectos com as crianças,   abrindo centros infantis em diversos bairros  mais pobres da Cidade da Praia, nomeadamente  Água Funda, Jamaica, Alto da Glória.

“Daí que pretendemos desenvolver um projecto onde entram para o pré-escolar, passam para o ensino básico, e acompanhá-los até a fase do ensino secundário, então terão espaço educativo, terão formações em diversas áreas, terão protecção, abrigo e valores estaremos ajudando de forma muito prática as famílias”, salientou.

Mostrou “total abertura” da igreja em auxiliar nas mais diversas áreas para pôr cobre principalmente à questão da criminalidade, e indicou a falta de recursos para a igreja desenvolver seus trabalhos.

Daí que, à semelhança de outros países protestantes, em que uma fatia do Orçamento do Estado vai para as igrejas desenvolver acções sociais, Cabo Verde poderia adoptar esta prática.

TC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos