Governo quer aprofundar e alargar Parceria Especial com União Europeia

Cidade da Praia, 30 Mai (Inforpress) – O Governo vai trabalhar no sentido de aprofundar e alargar a Parceria Especial com a União Europeia (UE), que este ano completou dez anos, garantiu hoje, na Cidade da Praia, o ministro dos Negócios Estrangeiros.

“Os sinais que o Governo tem recebido da parte das autoridades europeias apontam para o aprofundamento e alargamento da Parceria Especial entre Cabo Verde e a União Europeia”, disse o ministro Luís Filipe Tavares, durante o debate parlamentar sobre esta matéria.

A Parceria Especial entre Cabo Verde e a União Europeia deve ser encarada como “um eixo estratégico fundamental” da política externa do país, sublinhou o ministro.

“Queremos ter uma parceria especial duradoura com a UE para promover os investimentos em Cabo Verde, fazer crescer a nossa economia e gerar milhares de postos de trabalho”, disse Luís Filipe Tavares.

O ministro dos Negócios Estrangeiros disse que em matéria da parceria especial com a UE o Governo vai colocar “todo o seu afinco político, toda a sua objectividade estratégica” na implementação deste acordo, explorando “atentamente nichos” de oportunidades existentes ou que se podem perspectivar no futuro.

“A ambição do Governo é concluir com a Parceria Especial, um instrumento de alcance estratégico estruturante para o desenvolvimento do país à semelhança do acordo de cooperação cambial que permitiu o PEC fixo com o Euro em 1998”, reforçou.

O Governo pretende, ajuntou, estreitar as relações económicas, políticas, culturais e sociais com União Europeia e trabalhar, igualmente, sustentou, com a preocupação de resolver o problema de integração dos cabo-verdianos na UE.

“A parceria especial com a UE representa uma âncora importante para a parceria de Cabo Verde com o mundo”, sublinhou o ministro.

Por sua vez, a líder da bancada do PAICV, Janira Hopffer Almada, criticou a política externa do Governo do MpD, explicando que a interpelação solicitada pelo seu partido visa conhecer a visão do executivo sobre o futuro da parceria estratégica.

“É inequívoco que a parceria especial com a União Europeia tem trazido ganhos para Cabo Verde.  Mas não podemos ficar sentados e dizer apenas que tem ganhos”, salientou Janira Almada.

Segundo a mesma fonte, a Parceria Especial implica uma “mobilização permanente”, por isso, considerou, há que trabalhar para consolidar os ganhos conseguidos e alcançar novos ganhos.

No encerramento do debate sobre os 10 anos da Parceria Especial entre Cabo Verde e UE, Janira Almada defendeu também “uma diplomacia actuante” orientada pela captação de investimentos por parte do governo.

Janira Hopffer Almada defendeu igualmente a conciliação de parceria especial e a promoção de integração regional e mundial de Cabo Verde.

O deputado do MpD, Emanuel Barbosa, por seu lado, realçou que a Parceria Especial é um “instrumento importante” da cooperação que “muito tem beneficiado” Cabo Verde.

“Tudo faremos para consolidar a nossa relação com a UE e aprofundar a Parceria Especial, explorando as janelas de oportunidades que existem em cada um dos pilares que consubstanciam este acordo”, realçou.

O deputado do partido que sustenta o Governo disse também que o executivo de Ulisses Correia e Silva pretende introduzir novos pilares, nomeadamente o reforço institucional, o investimento, o crescimento e o emprego, a economia marítima e os oceanos.

“Enfatizamos o pilar que contempla o emprego dado a pertinência do fenómeno desemprego que herdamos do anterior governo do PAICV”, frisou.

Emanuel Barbosa defendeu ainda que o pilar que integra o emprego deve ser conjugado com o da luta contra pobreza “numa lógica bem diferente da seguida pelo PAICV”, enquanto governo.

JL

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos