Governo prevê socializar estatuto do idoso em Janeiro de 2022

Cidade da Praia, 13 Dez (Inforpress) – O Governo anunciou hoje que prevê socializar o estatuto do idoso nas primeiras semanas de Janeiro de 2022, documento que visa garantir um conjunto de direitos às pessoas da terceira idade.

O anúncio foi feito hoje pela secretária de Estado da Inclusão Social, Lídia Lima, à margem do encontro com os reformados de diversas áreas e com a presidente da Universidade Sénior de Cabo Verde, visando a recolha de subsídios para elaboração do Estatuto do Idoso, promovido pelo Ministério da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social.

“Este momento é para ouvir as suas recomendações, subsídios que podem ser incorporados no estatuto para as pessoas da terceira idade que estamos a trabalhar. Estamos a trabalhar no primeiro draft e poderemos aqui também nesta reunião recolher alguns subsídios que poderão ser incorporados neste documento e depois socializa-lo com a sociedade”, reforçou.

“Esse estatuto é para já. Em princípio deveria ser até o final deste mês, mas pensamos que já nas primeiras semanas do mês de Janeiro estaremos a apresentar as soluções, a socializar o estatuto com a sociedade cabo-verdiana”, comunicou a governante.

Segundo Lídia Lima , o Ministério da família tem vindo a implementar o programa nacional de cuidados para as pessoas da terceira idade e a direcionar vários outros programas para esta camada, principalmente para as “mais carenciadas”, que têm alguma vulnerabilidade em termos de condição de vida.

No entanto, a pretensão do Governo, segundo esta responsável, prende-se também com a dinamização do “envelhecimento activo”, argumentando que as pessoas activas “têm mais saúde, mais disposição para colaborar e ter uma vida mais feliz”.

“Mas, entretanto, em relação ao envelhecimento activo já temos uma iniciativa da sociedade civil, temos aqui a associação da universidade sénior que é uma associação que tem vários membros que já estão na reforma, que podem ainda dar uma grande contribuição no processo de desenvolvimento de Cabo Verde”, afirmou.

Neste quesito, fez saber que o Ministério da Família tem vários outros projectos para implementação a partir de 2022, entre os quais projectos de solidariedade e outros que visam resgatar os valores tradicionais que correm o risco de desaparecerem em Cabo Verde, justificando que o País “está com muitos problemas sociais que tèm a ver com a perda de valores”.

“Então queremos aproveitar a experiência das pessoas que já estão na terceira idade. Reformadas. que ainda querem colaborar com sociedade civil e com o Governo e que podem contribuir para transformarmos um pouco o panorama social que nós temos hoje na nossa sociedade e para fazer actuações conjuntas (…)”, sublinhou Lídia Lima.

O objectivo da reunião, acrescentou, “é desafiar” a criação de uma rede de pessoas que já estão na reforma, em todos os conselhos de Cabo Verde, para que possam, na comunidade, também serem proactivos, dinâmicos e colaborarem no desenvolvimento do seu País.

TC/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos