Governo pretende alargar consulta da medicina tradicional chinesa a nível nacional

Cidade da Praia, 22 Nov (Inforpress) – O secretário de Estado Adjunto da Saúde assegurou que o Governo pretende alargar a consulta da medicina tradicional chinesa (MTC) a nível nacional, pelos diferentes centros de saúde, para o reforço da saúde em Cabo Verde.

Evandro Monteiro falava à imprensa à margem do ateliê de socialização do programa de implementação da medicina tradicional chinesa nos serviços de saúde e apresentação dos resultados após o primeiro ano do início da consulta de MTC e demonstração de técnicas desta medicina no atendimento em consulta aberta, no Centro de Saúde de Achada Grande Trás, na Cidade da Praia.

“Daremos a continuidade aos trabalhos que estamos a fazer no Centro de Saúde de Achada Grande Trás que é um centro de saúde que está a responder de uma forma muito específica, abrangente e com bons resultados a esta consulta e depois o nosso “principal objectivo” é estendê-lo para os outros centros de saúde do país”, afirmou.

Para atingir esses objectivos, defendeu o governante, é preciso reforçar a capacitação dos profissionais nas estruturas de saúde, sobretudo na área de fisioterapia e em várias outras áreas, e o reforço também dos equipamentos para o melhoramento da saúde em Cabo Verde.

Por outro lado, o secretário de Estado Adjunto da Saúde sublinhou que o outro grande desafio neste momento é a nível da legislação e a regularização da medicina tradicional.

“É uma área de abrangência de resposta sanitário “muito importante” para o sistema nacional de saúde, mas o desafio actualmente é a nível da legislação e regularização da mesma, para sabermos o que pretendemos e como o fazer.

E segundo Evandro Monteiro, o Governo está a trabalhar para criar a própria legislação e avançou à imprensa que já tem esses documentos orientadores de outras realidades.

“Estamos a trabalhar para termos um programa específico a nível da estrutura central que se dedica exclusivamente a medicina tradicional complementar, não só a medicina tradicional chinesa, mas a própria abrangência a nível de Cabo Verde e do próprio continente africano”, concretizou Evandro Monteiro.

Por seu turno a responsável pela consulta de MTC do Centro de Saúde de Achada Grande Trás, Leila Rocha, disse que houve um “aumento da procura” deste tipo de consulta e que 55% das pessoas que procuram este tipo de consultas são as mulheres e 40% são os homens, com problemas desde músculos esqueléticas e alterações metabólicas e crianças também com problemas de paralisia infantil.

E os benefícios desta consulta, segundo esta responsável, é que as pessoas recuperam de uma forma mais rápida utilizando a acupuntura que é uma das técnicas de tratamento medicina tradicional chinesa mais visível, além de outras técnicas.

“É notório que as pessoas recuperam mais rápido, pois, ao invés de estarem meses a fazerem fitoterapia, fazem apenas sete a dez sessões aqui e já estão recuperadas”, sublinhou Leila Rocha.

De acordo com a OMS, a medicina tradicional é a medicina mais antiga a nível mundial e tem mais de 500 mil anos de história e Cabo Verde desde do povoamento das ilhas começou a utilizar essas plantas através do meio ambiente para tratar problemas de saúde.

Este evento, realizado pela Direcção Nacional de Saúde, através do Programa de Implementação da Medicina Tradicional em Cabo Verde, enquadra-se no âmbito da comemoração do Dia Mundial de Medicina Tradicional Chinesa e do Dia Mundial da Acupuntura, assinalados nos dias 11 e 24 de Outubro, respectivamente.

DG/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos