Governo presta homenagem a seis individualidades ligadas ao mar  

Cidade da Praia, 16 Dez (Inforpress) – O Governo homenageou hoje seis individualidades cabo-verdianas que se destacaram nas actividades ligadas ao mar pelo contributo dado ao desenvolvimento do País e no conhecimento da história cabo-verdiana.

Na cerimónia, presidida pelo ministro da Economia Marítima, Paulo Veiga, este reconheceu que é “um gesto merecido” e que deve continuar pois, sintetizou, “uma grande parte dos cabo-verdianos” são filhos do mar, daí a importância de reconhecer “esses heróis”.

“Achamos por bem homenagear e dar a conhecer a nossa história porque pensamos que a única forma de nós, enquanto sociedade e povo, reconhecer, poder, e criar realmente uma economia à volta do mar, desenvolver e proteger os recursos marinhos e os oceanos é conhecer a nossa história”, referiu.

O governante lembrou que antes dos anos 80 a maioria dos emigrantes cabo-verdianos emigraram por via marítima, faziam viagens de meses à procura de melhores condições de vida e que o cabo-verdiano é reconhecido, a nível internacional, como excelente marítimo e a história do País “é mais conhecida lá fora”.

Para Paulo Veiga, cabe ao Governo proporcionar esse conhecimento e pretende divulgar e dar a conhecer o percurso desses heróis nas escolas, de modo a recuperar a história do arquipélago “dando a cara e nome às pessoas” que contribuíram para isso.

O ministro comprometeu fazer o esforço de investigar e reconhecer todos aqueles que têm contribuído para desenvolvimento de Cabo Verde, sendo que “são realmente uns heróis” que labutam em condições “que já foram mais difíceis, mas continuam a ser difíceis”.

“O oceano e o mar é o que de mais importante temos no nosso País, pois representa 99% do nosso território e é através dele que a nossa história se desenvolve. Se falamos da relação com os Estados Unidos da América esta começou através da pesca, e este gesto é mais um reforço para mostrar a importância do mar”, reconheceu.

Em representação dos homenageados, Alice Martins, irmã de um dos agraciados, mostrou-se orgulhosa por esta homenagem e agradeceu o Governo pelo acto.

Segundo explicou, Guilherme Gonçalves foi marinheiro e desempenhou a sua função “com zelo e honestidade num período difícil”, em que Cabo Verde começava a se afirmar como um novo País num contexto “bastante limitado” em recursos económicos.

Foram agraciadas ainda Júlio César Almada, João Teófilo Gonçalves, Divo Augusto Macedo, Malaquias Vaz e Casimiro Agnelo Lopes dos Santos.

AV/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos