Governo inaugura gabinete de atendimento e acompanhamento de doentes transferidos para exterior

 

Cidade da Praia, 04 Jul (Inforpress) – O Governo inaugurou hoje, na Cidade da Praia,  o Gabinete de Atendimento das Evacuações Externas ao nível da rede de Segurança – Inclusão Social – (GAEE) para melhorar o atendimento e o acompanhamento a doentes transferidos para o exterior.

Segundo a ministra da Família e Inclusão Social, Maritza Rosabal, que falava no acto da inauguração do serviço, Delegação da Cidade da Praia, este gabinete é “muito importante”, tendo em conta que vai preparar o doente em todo o processo de transferência.

Este gabinete, que segundo anunciou a ministra, vai funcionar também em São Vicente e instalados junto dos hospitais centrais Agostinho Neto (Cidade da Praia) e Baptista de Sousa (São Vicente) vai permitir ainda que a Embaixada de Cabo Verde em Portugal tenha “todos os dados necessários” para permitir um “acolhimento adequado” dos doentes.

Lembrou a governante que este gabinete, que vai permitir uma “comunicação fluida”,  é destinado a todos os doentes transferidos para Portugal, anunciando ao mesmo tempo que para o próximo vão abrir um gabinete junto da embaixada para que os estagiários possam acompanhar os doentes que estão hospitalizados.

Ainda à margem da inauguração do GAEE – Delegação da Cidade da Praia foi assinando um protocolo entre o da Ministério da Família e Inclusão Social e a Embaixada de Cabo Verde em Portugal para garantir o reforço alimentar dos doentes transferidos, do regime não contributivo.

Segundo a ministra, esta é a “melhor solução” encontrada de momento aos doentes deslocados que vivem em pensões e que vão passar a receber uma refeição quente “de qualidade e adequada” às suas necessidades.

Maritza Rosabal admitiu ainda a revisão da lei e dos montantes que serão adicionadas no orçamento do próximo ano.

Por seu turno, o embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, considerou a iniciativa de “muitíssimo importante”, mas reconheceu que a situação dos cerca de 104 doentes transferidos em sistema não contributivo e sem enquadramento familiar é “precária”.

Segundo o diplomata, este protocolo de “reforço alimentar”vai “melhorar significativamente” as condições de vida desses doentes em Portugal.

A criação deste gabinete de atendimento ao nível da rede de segurança enquadra-se no programa de garantia de acesso à saúde e da reestruturação dos serviços de atendimento e acompanhamento de doentes transferidos para o exterior.

FM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos