Governo guineense determinado a cumprir Acordo de Conacri

 

Bissau, 28 Abr (Inforpress) – O Governo da Guiné-Bissau destacou os esforços da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) para a estabilização do país e manifestou a sua determinação para cumprir o Acordo de Conacri, refere um comunicado hoje divulgado.

“O Conselho de Ministros manifestou a sua congratulação com os incessantes esforços da CEDEAO para a estabilização do nosso país e reiterou a sua firme determinação em empreender os esforços necessários com vista ao cumprimento do Acordo de Conacri, a partir de um diálogo sério e franco com todas forças vivas da Nação em geral e com os signatários do aludido acordo, em especial”, refere o comunicado relativo à última reunião do Conselho de Ministros, realizada na quinta-feira.

Depois de uma missão de avaliação da CEDEAO realizada entre domingo e terça-feira a Bissau, a organização da África Ocidental admitiu aplicar sanções aos políticos guineenses que coloquem entraves à “implementação” do acordo para acabar com o impasse político no país.

Segundo a CEDEAO, os actores políticos guineenses têm 30 dias, contados a partir do passado dia 25, para aplicarem as directrizes do Acordo de Conacri, que prevê a formação de um governo consensual integrado por todos os partidos representados no parlamento.

Quatro dos cinco partidos com assento parlamentar não reconhecem o actual Governo, que dizem ser de iniciativa do Presidente do país, José Mário Vaz, a quem exigem que demita o primeiro-ministro guineense, Umaro Sissoco Embaló.

A organização referiu também que a força de interposição estacionada em Bissau na sequência do golpe de Estado de Abril de 2012 vai sair do país até 30 de junho.

O início da retirada da força estava previsto para hoje, mas ainda não começou porque não foram recebidas ordens do comando-geral.

Lusa/Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos