Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo galardoa todos ex-governadores do BCV com primeiro grau de medalha de mérito profissional

Cidade da Praia, 11 Fev (Inforpress) – O Governo de Cabo Verde homenageou hoje todos os ex-governadores do Banco de Cabo Verde (BCV) com primeiro grau de medalha de mérito profissional, como forma de honrar a história de credibilidade da instituição.

O acto, que aconteceu durante a cerimónia de inauguração da nova sede do BCV, foi presidido pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, que justificou o gesto com a necessidade de reconhecer os contributos pessoais e profissionais dos ex-governadores que passaram pela instituição.

Uma homenagem, que segundo Ulisses Correia e Silva, se estende também aos administradores, aos directores, às chefias e aos trabalhadores, e que na sua perspectiva, tem um percurso que confunde com a história do arquipélago e marca indelevelmente a soberania cabo-verdiana, enquanto país independente.

“O papel do BCV na estabilidade e confiança económica e financeira foi e é determinante. Actua e intervém em áreas que são nossos principais activos. A estabilidade e a confiança, baixos riscos reputacionais que são os principais activos desse país e que devem ser protegidos, cuidados e a aprimorados sempre”, salientou.

Ulisses Correia e Silva frisou ainda que o BCV, enquanto instituição de referência, tem dado um contributo de primeiro nível para a qualidade desses activos que qualificam o país, particularmente no que se refere à estabilidade económica e financeira.

Foram cinco os homenageados que geriram o Banco Central de 1975 a 2020. São eles, Corentino Virgílio Santos, que foi o primeiro governador do BCV (1975 e 1984), Osvaldo Miguel Sequeira com mandato entre 1991 e 1999, Carlos Burgo (2004 – 2014) e João Serra que dirigiu os destinos da instituição de 2014 a 2020 e Amaro Luz, a título póstumo, e cujo mandato decorreu de 1981 e 1991.

Em nome dos agraciados, o antigo governador Carlos Burgo agradeceu ao Governo pela distinção, sublinhando que os mesmos tiveram o grande privilégio de servir o país à frente daquela que é uma “importante instituição”.

Por outro lado, considerou o acto de condecoração como o reconhecimento da importância do banco central no contexto nacional, bem como o desempenho da instituição e das sucessivas gerações de colaboradores.

“O BCV muito justificadamente ostenta o lema ‘ao serviço do desenvolvimento’. No seu percurso respondeu cabalmente aos desafios inerentes às diferentes etapas do desenvolvimento do país, desde a complexa tarefa de estabelecer e gerir uma moeda própria, à gestão com sucesso de um regime cambial, baseada na paridade fixa com o euro”, disse, frisando que há garantia de liquidez e solidez do sistema financeira e o desenvolvimento de um moderno sistema de pagamento.

Neste momento em que complexos desafios se colocam ao país e à económica, Carlos Burgo augurou que também no futuro o BCV esteja sempre à altura das suas responsabilidades, contribuindo decididamente para a garantia de estabilidade económica, financeira e cambial, condição na sua perspectiva, “indispensável” para o crescimento de economia e o desenvolvimento do país.

A nova sede do BCV, obra projectada pelo internacionalmente conceituado arquitecto português Álvaro Siza Vieira, pelas suas características, dimensão e complexidade, valorizará não só o BCV, mas também a Cidade da Praia e todo o país, consideram os interlocutores.

MJB/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos