Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo diz que desenvolvimento sustentável requer estabilidade, consensos e compromissos de longo prazo

Cidade da Praia, 11 Set (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, disse hoje, na Cidade da Praia, que o desenvolvimento sustentável requer “estabilidade, consensos e compromissos de longo prazo”, assim como programas que impulsionam mudança e aceleram o progresso.

Para o governante, o desenvolvimento sustentável exige ainda “escolha e priorização” e, também, definição dos aceleradores e, no caso de Cabo Verde, a convergência de todas as ilhas.

“Em 2020, em plena pandemia, realizamos o exercício Cabo Verde Ambição 2030, que resultou na agenda estratégica do desenvolvimento sustentável de Cabo Verde para realizar os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), afirmou Olavo Correia.

O vice-primeiro-ministro fez estas considerações no acto de abertura da Conferência Nacional sobre o Desenvolvimento, a primeira de uma série de quatro que precedem o processo de elaboração do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS).

Acrescentou que o Governo continuará a aprofundar o diálogo com os actores nacionais e os parceiros, além de “promover o conhecimento e o debate permanente sobre os desafios, as soluções, as opções e as prioridades”.

“Vamos apresentar à Assembleia Nacional uma proposta de lei que cria o mecanismo de coordenação de implementação dos ODS em Cabo Verde”, anunciou.

Segundo Olavo Correia, nos últimos cinco anos o executivo reduziu a pobreza absoluta de 35.2% para 26.0% em 2019, o “maior ganho de todos os tempos”.

“Infelizmente, perdemos dois terços deste progresso com a pandemia e a pobreza subiu para cerca de 31,6%”, lamentou, indicando que se registou uma “forte redução” das desigualdades, resultado das apostas “na descentralização, na territorialização das políticas públicas, inclusão social, no desenvolvimento regional e na boa governação”.

“Cabo Verde é hoje o primeiro país da CEDEAO em matéria do índice do desenvolvimento sustentável e ocupamos o quinto lugar em África”, lançou o ministro das Finanças.

Salientou ainda que nos cinco anos os progressos do País em matéria do desenvolvimento sustentável resultam de acções de todos e de cada um dos actores, “cumprindo de forma responsável e empenhada a sua missão”.

“Cabo Verde não falhou com os ODM e, seguramente, não falhará com os ODS”, garantiu, acrescentando que os desafios de desenvolvimento sustentável são de todos.

De 2016 a 2021, frisou Olavo Correia, as despesas para o Estado social passaram de 21 milhões de contos para cerca de 41 milhões de contos, “um aumento de mais de 70%”

“Nunca na história de Cabo Verde houve uma dimensão do Estado social em tão pouco tempo com esta amplitude”, admitiu o governante, concluindo que não é por acaso que o País está a dar um “grande combate à pandemia”.

Esta conferência é realizada em parceria com as Nações Unidas.

LC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos