Governo destaca impacto dos 30 anos de trabalho do Citi-Habitat na inclusão social das populações (c/áudio)

Praia, 15 Nov (Inforpress) – A ministra da Educação, Família e Inclusão Social, Maritza Rosabal, destacou hoje os impactos positivos dos 30 anos de trabalho do Citi Habitat em prol do desenvolvimento comunitário em Cabo Verde e na inclusão das populações.

Maritza Rosabal falava na abertura da conferência internacional sobre o papel da cooperação bilateral e multilateral no processo de desenvolvimento de base solidária, promovida pelo Centro de Inovação em Tecnologias de Intervenção Social para o Habitat (Citi- Habitat), para assinalar os 30 de existência do centro completados neste mês de Novembro.

A governante salientou que o Citi-Habitat foi pioneiro na abordagem da questão da organização urbana e na busca de alternativas tecnológicas que permitem resolver o problema habitacional e, por outro lado, conservar o ambiente em Cabo Verde.

“Diríamos nesse sentido que o Citi Habitat é uma organização que esteve muito à frente no tratamento dessa matéria de sustentabilidade ambiental. Por isso há que aqui parabenizar aos criadores que depois vieram a trabalhar ao longo do tempo nesta matéria”, sustentou.

Maritza Rosabal realçou ainda todo o trabalho que esta organização não governamental tem desenvolvido ao longo dos seus 30 anos em prol do desenvolvimento das comunidades, especialmente aquelas mais vulneráveis.

“Este é um trabalho que sempre tem tido como foco a promoção e a criação de infra-estruturas comunitárias, o acesso aos serviços comunitários, ao rendimento familiar, sobretudo mediante a concessão do micro-crédito para criação de actividades geradoras de rendimento”, precisou.

A ministra falou ainda de projectos desenvolvidos em prol da melhoria habitacional, de acesso à agua e saneamento que, conforme salientou, tem tido impactos “muito positivos” na vida das populações e na inclusão social.

No entanto, desafiou o centro a aprofundar o trabalho que vem desenvolvendo com as universidades, apostando em projectos que garantam a sustentabilidade ambiental.

“É um nicho precioso e que poderá ser desenvolvido”, disse a ministra que aproveitou para também agradecer os parceiros de desenvolvimento que também estiveram ao lado dessa organização que completa 30 anos ao serviço de desenvolvimento de Cabo Verde.

Quem também enalteceu os impactos do trabalho da Citi-Habitat foi a embaixadora de Portugal em Cabo Verde Helena Paiva.

Conforme a diplomata portuguesa, a “experiência bem-sucedida” dessa organização governamental cabo-verdiana servirá de pertinente partilha para o caminho que carece ainda ser trilhado em prol do desenvolvimento local que seja verdadeiramente inclusivo.

A conferência internacional para assinalar os 30 anos do Citi-habitat tem a duração de dois dias e tem como base o objectivo 17 dos ODS – “revitalizar a parceria mundial ao serviço do desenvolvimento durável e reforçar os meios para a sua implementação”.

Visa sobretudo promover com os parceiros do desenvolvimento uma reflexão sobre a problemática do desenvolvimento social de base comunitária e solidária em Cabo Verde, bem como as abordagens sobre instrumentos, parceiras e meios de acção.

Reflectir sobre o papel da cooperação bilateral e multilateral no processo de desenvolvimento local de base solidária e autogerida.

MJB/ZS

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos