Governo desafia INE a valorizar mais as fontes administrativas na produção de estatísticas

Cidade da Praia, 21 Jun (Inforpress) – O director Nacional do Planeamento do Ministério das Finanças desafiou hoje o INE a valorizar mais as fontes administrativas na produção de estatísticas e a criar novos órgãos delegados no quadro da implementação da nova agenda estatística.

Este desafio foi lançado por Gilson Pina na abertura do seminário de lançamento do processo de elaboração da nova Estratégia Nacional de Desenvolvimento Estatística (ENDE 2022-2026).

“Hoje mais do nunca, é claramente evidente que a ENDE 2022-2026 deve especialmente valorizar as fontes administrativas para a produção de estatísticas oficiais, mas também criar novos Órgãos Delegados do INE (Odine) designadamente nas áreas das finanças públicas, do turismo e transportes, do ordenamento do território, e da habitação e infraestruturas”, disse.

Gilson Pina sublinhou que a ENDE 2022-2026 deverá sobretudo efectivar a coordenação estatística (a técnica e por objectivos), garantindo assim a produção de estatísticas prioritárias, a coerência, a consistência e a pertinência destas.

“Ambicionamos que a ENDE 2022-2026, reforce a autoridade estatística nacional para que a estatísticas oficiais contribuam cada vez mais para a credibilidade de Cabo Verde e especialmente, para qualificar o diálogo técnico e político entre os Poderes Central e Local como, com o sector privado, as Organizações da Sociedade Civil e os parceiros de desenvolvimento”, sustentou.

O director Nacional do Planeamento salientou que Cabo Verde tem “grandes desafios” a nível do Sistema Estatístico Nacional, sendo que a nova agenda estatística deve prioritariamente corrigir as assimetrias em termos de capacidades técnicas e de financiamento das actividades estatísticas.

Na sua perspectiva, essa nova estratégia deverá assumir a imperactividade do desenvolvimento das estatísticas sectoriais e especialmente das estatísticas agrícolas, da justiça, dos transportes, da segurança, bem como da saúde.

Gilson Pina lembrou que Cabo Verde está em pleno de processo de elaboração do segundo Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS II), assim como dos principais Planos Estratégicos Setoriais, e a que se seguirão os Planos de Desenvolvimento Regional/Ilhas, o que implica uma intensa utilização de estatísticas oficiais.

Neste quadro, adiantou que a ENDE 2022-2026 deve produzir os cerca de 150 indicadores do PEDS II, mas também os indicadores relativos às 169 metas dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentado (ODS).

A ENDE é o instrumento de planeamento da actividade estatística oficial de médio prazo no âmbito SEN, bem como de coordenação de parcerias para a estatística oficial, capaz de garantir adequada previsibilidade dos recursos para a atividade estatística do país.

Durante o seminário de hoje que com a participação dos órgãos do Sistema Estatístico Nacional (SEN), de outros produtores de estatísticas, utilizadores e parceiros, vai servir para apresentação do projecto roteiro para agenda estatística para os próximos cinco anos, que caminhos seguir e que recursos mobilizar.

Gilson Pina garantiu que a Direção Nacional do Planeamento assumirá em pleno o compromisso do Governo com a mobilização de recursos para a implementação deste plano estratégico.

MJB/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos