Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo de Cabo Verde ambiciona duplicação do rendimento “per capita” nos próximos dez anos

 

Cidade da Praia, 02 Jun (Inforpress) – O Governo de Cabo Verde vai trabalhar para duplicar o rendimento “per capita” nos próximos dez anos, disse hoje o ministro das Finanças, Olavo Correia, considerando para tal “importante” o engajamento de todos os parceiros nacionais e internacionais.

O governante falava durante a abertura do workshop nacional de análise e definição das vantagens comparativas das Nações Unidas e a priorização estratégica para o próximo quadro de cooperação entre o Governo de Cabo Verde e as Nações Unidas em Cabo Verde (UNDAF 2018-2022).

Olavo Correia sublinhou que é “importante” ter uma visão estratégica do futuro do país, que seja partilhada não só internamente, mas com todos os parceiros tendo as Nações Unidas à cabeça.

“Nós pensamos que o que é essencial hoje é trabalhar para que daqui a dez anos possamos duplicar o rendimento para as famílias, para os jovens e para todos aqueles que vivem e investem em Cabo Verde”, disse indicando que Cabo Verde tem condições para lá chegar.

Entretanto, salientou que para alcançar esse objectivo diversas medidas e acções devem ser levadas no sentido de optimizar essas condições.

Reformar a Administração Pública, melhorar o ambiente de negócios, qualificar o sistema de ensino desde o pré-escolar até ao ensino universitário e formação profissional, tornar o sistema de justiça mais eficiente, melhorar a segurança e criar um quadro favorável à atracção dos investimentos directo estrangeiro são para já questões “importantes e urgentes”.

“Com tudo isto estaremos em condições de, aproveitando as oportunidades que existem à escala nacional e internacional, crescer a 7% ao ano, permitindo a duplicação de rendimentos para as famílias nos próximos 10 anos”, sustentou.

“Este é um objectivo maior que tem de ser liderado pelo Governo, mas tem de contar com o concurso e colaboração de todos. Sector privado, sociedade civil, indivíduos famílias para que possamos afrontá-lo e vencê-lo”, acrescentou o ministro.

Nesse desiderato, considerou que as Nações Unidas são um parceiro estratégico “importante”, já que, conforme frisou, tem ajudado o país em todo o processo de planeamento, da reforma de administração pública e nas questões sociais.

Apesar do próximo quadro de cooperação entre as Nações Unidas e o Governo de Cabo Verde (UNDAF -2018-2022) estar em processo de preparação, Olavo Correia garantiu que a prioridade do Governo está no aumento do PIB “per capita” em Cabo Verde que actualmente é de pouco mais de três mil dólares (3.131,13 USD -2015).

“Tudo que iremos fazer: investimentos nas infraestruturas tais como portos, aeroportos, estradas, escolas e etc… tem que ter como foco essencial aumentar e duplicar o rendimento “per capita” nos dez anos, melhorar a qualidade de vida e felicidades dos cabo-verdianos”, disse.

O actual quadro de cooperação entre o Governo de Cabo Verde e as Nações Unidas em Cabo Verde está em implementação desde Junho de 2012 e terminará a 31 de Dezembro de 2017.

O novo irá cobrir o período de 2018 a 2022 e deve ir ao encontro das prioridades e desafios nacionais no novo contexto de desenvolvimento nacional e da agenda de desenvolvimento sustentável 2030.

O documento deve estar pronto em meados de Julho para ser assinado ainda no decurso deste ano.

MJB/ZS

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos