Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governo avança com medidas de atenuação dos resultados do ano agrícola

Cidade da Praia, 08 Out (Inforpress) – O Governo aprovou esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, a resolução que aprova as medidas de atenuação dos resultados do ano agrícola 2021/2022 e o respectivo orçamento no valor de 170 milhões de escudos.

Em conferência de imprensa, o porta-voz da reunião ministerial, Abraão Vicente, começou por explicar que a situação da campanha agrícola referente ao ano 2021/2022 até a presente data é caracterizada por uma estação de chuvas deficitária e de distribuição bastante irregular em todo o arquipélago.

Uma situação que, segundo o governante, reflecte negativamente e de forma muito diferenciada, na produção agropecuária que foi má nas zonas mais áridas do país, deficitária nos estrados semiáridos e normal e excelente nos estrados sub-húmidos e húmidos.

“Para a atenuação dos resultados da campanha agrícola 2021/22, em conjugação com a estratégia de resiliência do sector agrário e associadas integradas, com as intervenções de outros programas e projectos que concorrem para o mesmo fim, ou fim complementar (…) o Governo promove a implementação de medidas que contribuem para a manutenção da capacidade produtiva da pecuária, mormente através do fabrico, do reforço e comercialização dos alimentos para o gado e a optimização do efectivo dominante”, avançou.

Dentro das medidas anunciadas por Abraão Vicente está a criação de empregos nos municípios mais afectados, sobretudo através da realização de obras públicas, duradouras, e com impacto “muito positivo” na qualidade do ambiente e do bem-estar dos cidadãos.

“Essas intervenções são realizadas de forma diferenciada nos concelhos em função da situação resultante da avaliação final da campanha agrícola 2021/22”, frisou.

As medidas atinentes a manutenção da capacidade produtiva da pecuária serão realizadas, segundo o porta-voz do Conselho de Ministros, através do Ministério da Agricultura e Ambiente e, no que tange a criação de empregos para as famílias afectadas, as obras para o efeito serão definidas e executadas sob a responsabilidade dos municípios, mediante procedimentos administrativos habituais de desembolso e de prestação de contas “evitando burocracias suplementares desnecessárias”.

O orçamento para a execução destas medidas está fixado, segundo Abraão Vicente, no valor de 170 milhões de escudos, “sujeito a alteração após a avaliação final dos resultados da campanha agrícola 2021/22”.

GSF/CP

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos