Governo aponta Cidade Velha como testemunho da “grandiosidade histórica” da Nação cabo-verdiana 

Cidade da Praia, 26 Jun (Inforpress) – O ministro da Cultura afirmou hoje que a Cidade Velha transformou-se num pequeno aglomerado urbano e é testemunho da “grandiosidade histórica” da Nação cabo-verdiana, que tem recebido vários investimentos para torná-la um ponto de referência.

Abraão Vicente, que é também presidente da Comissão Nacional da Unesco para Cabo Verde, fez estas declarações numa mensagem alusiva a mais um aniversário da elevação da Cidade Velha a Património Mundial, que se celebra a 26 de Junho.

“Celebramos hoje mais um aniversário da elevação da Cidade Velha a Património Mundial. O nosso sítio histórico, berço da Nação cabo-verdiana, onde começou-se a desenhar a história e o futuro do nosso País, arquipélago descoberto por navegadores que depois, devido às suas características, transformou-se num pequeno aglomerado urbano, é, hoje, o testemunho da grandiosidade histórica”, declarou.

Segundo o governante, Cidade Velha transformou-se numa grandiosidade que tem merecido investimento de sucessivos Governos em Cabo Verde, de forma a preservar e valorizar este legado que é de todos os cabo-verdianos, residentes e na diáspora, mas, também, de toda a humanidade.

Todos os investimentos, prosseguiu, têm sido no sentido de torná-la um ponto de referência em Cabo Verde e para que ganhe a centralidade que merece, tendo realçado que nos últimos seis anos foram vários os investimentos que o Governo realizou neste sítio histórico.

Destacou a reabilitação da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, inserida no âmbito do plano nacional de reabilitação dos edifícios históricos e religiosos, financiada pelo Fundo do Turismo de Cabo Verde, recuperação da primeira fase da orla marítima da Cidade Velha, no âmbito do PRRA, Intervenção da estrada Cidade Velha – Santa Marta (beneficiada com iluminação pública) e Salineiro – Santana no âmbito do PRRA.

Foi ainda feita a requalificação da via de ligação entre a Sé Catedral e o Forte de São Filipe, bem como a construção de um quiosque de informação turística (encosta de Fortaleza), para que, sublinhou, sirva de ponto de informação turística no circuito turístico da Cidade Velha, Património Mundial e reabilitação do Centro Interpretativo, a fim de permitir o funcionamento do roteiro turístico da Cidade Velha, Património Mundial.

“Para além disso, o Governo de Cabo Verde já tem delineado mais projectos para recuperar bens materiais de alto valor patrimonial e histórico e, ainda, devolver à comunidade um espaço de lazer, fruição cultural, potenciando diversas actividades socioculturais, contribuindo para o fortalecimento do sentimento de pertença por parte da comunidade local e alavancar o turismo histórico e cultural, valorização histórica que irá contar com várias parcerias”, reiterou.

Apontou, neste âmbito, o Plano Salvaguarda Cidade Velha – Banco Mundial  Reabilitação São Veríssimo, a ser garantido pelo Fundo Mundial para o Património Africano (AWHF), Empreendedorismo em Sítios Património Mundial – Cidade Velha –Unesco, Musealização in situ Capela Nossa Senhora da Conceição, em parceria com Camões Instituto.

Salientou ainda que o Governo pretende mobilizar parcerias para a  reabilitação do Bairro São Pedro, bem com as casas da rua banana, sinalização turística no sítio histórico e reconstrução do restaurante de Pelourinho.

“A nossa missão, enquanto povo e enquanto Estado, é e continua a proteger e valorizar o legado histórico e patrimonial da Cidade Velha para memorar a nossa ancestralidade e perpetuar um lugar-comum, onde a história universal se conflui e a comunidade se reconhece”, concluiu.

Cidade Velha, no município de Ribeira Grande de Santiago, comemora hoje 13 anos de elevação a Património Mundial.

Em 2009, a Unesco reconheceu perante a humanidade que “a perda por degradação ou desaparecimento de quaisquer desses bens constitui um empobrecimento do património de todos os povos do mundo” com a inscrição de Cidade Velha na Lista do Património Mundial da Humanidade.

O processo de candidatura, que foi aprovado por unanimidade, a 26 de Junho de 2009, foi liderado pelos técnicos do Instituto do Património Cultural Carlos Carvalho e Charles Akibodé.

Segundo informações disponibilizadas no site do IPC, o sítio histórico da Cidade Velha foi classificado como Património da Humanidade pelos critérios II, III e VI.

O critério II prende-se aos monumentos e vestígios ainda existentes na Cidade Velha enquanto testemunhos do seu papel nas trocas comerciais, o critério III, pela sua paisagem urbana, marítima e pitoresca que remetem aos mais de três séculos de escravidão dos seres humanos.

O critério VI, por ser o berço da primeira sociedade mestiça que se difunde pelo Atlântico através da gastronomia, farmacopeia, e outros saberes.

CM/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos