Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Governante desafia jovens a agarrar oportunidades e “pensar grande” em prol de mais empreendedorismo

Cidade da Praia, 13 Dez (Inforpress) –  O secretário de Estado para Inovação e Formação Profissional, Pedro Lopes, desafiou hoje os jovens a agarrar as oportunidades e “pensar grande” a fim de serem empresários “bem-sucedidos”, tendo em vista mais empreendedorismo e inovação no país.

O governante falava durante o acto da apresentação da Incubadora Cermi Spin Off e a empresa Eletrosol, bem como a entrega de “kits” de negócios para os jovens, promovido pelo Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI), com o intuito de incentivar os seus formandos para o caminho do empreendedorismo.

Conforme defendeu Pedro Lopes, esta geração tem que quebrar a mentalidade de “esticar a mão sempre”, pois, no seu entender, o Governo cria oportunidades e os jovens devem aproveitá-las.

Na ocasião, o secretário do Estado pediu aos jovens para formalizarem os seus negócios e aproveitar os meios digitais e as redes sociais para divulgar os seus produtos e serviços, para que possam alcançar o “maior número” de público.

“Temos que chegar a mais pessoas para podermos vender mais e, se vendermos mais, criamos mais postos de trabalho”, demonstrou, acrescentando que Cabo Verde precisa da nova geração de empresários.

Por sua vez, o presidente do conselho de administração (PCA) do CERMI, Luís Teixeira, explicou que assinou hoje um contrato com a Electra para que a empresa Eletrosol, incubada naquele centro de formação, possa prestar serviços de uma forma indireta.

O responsável assegurou que os jovens do CERMI têm tido uma “boa recepção” por parte das empresas, mas, no seu entender, tendo em conta a “pequenez” do mercado, que “não consegue absorver todos os jovens”, a incubação é uma “boa solução” porque jovens não devem ficar a esperar somente pelo emprego do Estado.

“Eles podem criar seus próprios negócios, contribuindo para o desenvolvimento económico do país, através da criação de riquezas e emprego”, sugeriu, acrescentando que a instituição que dirige tem estado a trabalhar junto das empresas para proporcionar aos seus formandos programas de terceirização de serviços e “startups”, assim como entrega de “kits”.

O PCA do CERMI, que actualmente acolhe 600 formandos, mostrou-se esperançoso numa “boa caminhada”, que hoje arrancou com a incubação da empresa Eletrosol, rumo ao aumento da empregabilidade jovem no país.

O representante da empresa Eletrosol, Euclides Monteiro, afirmou que foi “gratificante” ser incubado no CERMI para prestar serviços às “grandes empresas” nacionais.

“Criamos a empresa antes de ser incubado, mas encontrar um trabalho era difícil. Portanto, esta incubação no CERMI já é um grande sucesso porque já estamos com trabalhos garantidos e a pensar em algo para o futuro”, garantiu.

O jovem empreendedor assegurou que a sua “maior ambição” agora é conquistar o mercado nacional na área das energias renováveis.

WM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos