Gilberto Lima anuncia greve nacional dos vigilantes e avisa que não vão respeitar a requisição civil (c/áudio)

Cidade da Praia, 15 Out (Inforpress) – O líder do SIACSA, Gilberto Lima, anunciou hoje uma greve nacional dos vigilantes para os dias 26 e 27 deste mês e avisa que, desta vez, vão desrespeitar a requisição civil, se o Governo adoptar esta medida.

O presidente do Sindicato de Indústria e Serviços Gerais, Alimentação, Construção Civil, Agricultura, Sector de Segurança Privada, Serviços Marítimos e Portuários (SIACSA) explicou que vai mobilizar os vigilantes para desrespeitarem uma eventual requisição civil porque, disse, “recentemente um outro sindicato convocou uma greve e o Governo não fez nada”.

“Não pode haver dois pesos duas medidas e não podemos ser discriminados no nosso próprio país”, indicou aquele responsável sindical, acrescentando que a greve dos vigilantes pode ser desconvocada se o Ministério da Administração Interna e o da Justiça e do Trabalho resolverem o problema que, neste momento, aflige o pessoal da segurança privada.

Entre as reivindicações, Gilberto Lima apontou a “morosidade excessiva na publicação e implementação do PIR [Preço Indicativo de Referência para a classe de vigilantes”.

O líder do SIACSA, que falava em conferência de imprensa, explicou, ainda, que falta a publicação da portaria de extensão, cuja data para a sua negociação e assinatura estava prevista para a partir de 02 deste mês, “o que não aconteceu”.

“Estamos perante uma greve nacional forçada, por causa do deixar andar das autoridades e empresas do sector”, lamentou, adiantando que esta “situação vem arrastando desde 2014”.

Na sua perspectiva, os vigilantes, em Cabo Verde, são a classe profissional “mais maltratada e desrespeitada”, auferindo um “baixo salário”, além das “péssimas condições de vida e de trabalho”.

Denunciou, por outro lado, que há “largos anos” que, a nível desta classe, não foi observada a carreira, havendo casos de vigilantes com “quatro mudanças de categorias profissionais vencidas e não são observadas pelas empresas”.

“Os vigilantes vivem numa autêntica afronta, servindo o senhor e para os mesmos não cabe nada”, pontuou o líder do SIACSA.

Entretanto, Gilberto Lima não descarta a hipótese da realização de uma outra greve, desta feita, do pessoal do saneamento da câmara municipal da Praia, por causa da não aplicação do Plano de Cargo, Carreira e Salário (PCCS).

A greve deste pessoal, revelou, está prevista para os dias 19, 20 e 21 deste mês.

Segundo ele, em relação a este caso, a negociação na Direcção Geral do Trabalho foi suspensa esta quarta-feira, a fim de o sindicato ouvir oss ouvir os trabalhadores para uma tomada de decisão e, depois, prosseguir as negociações com os responsáveis da autarquia praiense.

LC/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos