Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Gestora da Inforpress quer empresa modernizada com novos conteúdos mediáticos e à frente dos acontecimentos em 2019 (c/áudio)

Cidade da Praia, 16 Nov (Inforpress) – A gestora única da Agência Cabo-verdiana de Notícias (Inforpress) afirma que em 2019 a agência “estará modernizada”, capaz de dar resposta aos novos conteúdos mediáticos e de consolidar a tarefa de estar à frente dos acontecimentos.

Jacqueline Furtado falava em entrevista à Inforpress, à margem da apresentação da edição especial do selo comemorativo do aniversário da agência, sob o lema “Inforpress – 30 anos de rigor e imparcialidade”.

Segundo Jacqueline Furtado está-se a apostar numa Inforpress que consiga dar resposta aos múltiplos formatos de conteúdo para completar a oferta que já faz de textos e fotografia.

Ou seja, será uma aposta voltada para a multimédia, com a valência também de comercialização conteúdos, ajuntou a mesma fonte.

“A Inforpress tem 30 anos de muita maturidade, de muita experiencia. Preconizamos daqui para a frente uma Inforpress que esteja voltada para multimédia, ou seja que consiga oferecer conteúdos de vídeo, de áudio, que nós já começamos desde Agosto, para complementar a tradicional oferta de textos e fotografias que temos no nosso website”, destacou a gestora.

Ainda na senda da modernização, a gestora disse que preconiza uma agência de notícias que possa gerar mais valor acrescentado e que tenha “mais conteúdos exclusivos e especiais”.

Isto para que a partir do segundo semestre de 2019 a Inforpress “comece efectivamente” a comercializar conteúdos.

“Essa comercialização vem justamente nessa senda do que as agências noticiosas fazem a nível mundial”, declarou, sendo certo que a agência, sustentou, temque dar respostas ao serviço de informação.

Então, precisou Jacqueline Furtado, uma parte desse conteúdo será aberto, mas a outra parte estará condicionada à modalidade de utilizador/pagador, até para garantir a sustentabilidade da agência e permitir que ela continue a prestar esse serviço para os outros órgãos de comunicação social, enquanto “fonte inquestionável” e fonte de informação em Cabo Verde”.

Mas, para cumprir esses desafios e, principalmente “servir melhor os cabo-verdianos”, acrescentou ainda a gestora, a Inforpress apostou primeiramente na formação e capacitação dos seus recursos humanos para que o colaborador da agência esteja preparado para acompanhar a evolução da empresa.

“Nós desenvolvemos uma acção de formação ímpar porque há muitos anos que não tínhamos todos os colaboradores da Inforpress reunidos numa formação. Foi justamente para estarmos juntos a caminhar para essa nova etapa da multimédia que é algo que exige actualização constante e eles devem estar preparados para acompanhar essas evoluções tecnológicas”, sintetizou a gestora única da Inforpress, numa espécie de projecção dos desafios da empresa para os próximos tempos.

CD/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos