Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

G7 pede envolvimento dos países regionais nas crises de Líbia e Síria

Biarritz, França, 26 Ago 2019 (Inforpress) – Os países do G7 acordaram hoje pedir à ONU e aos países da região para participarem em reuniões internacionais que conduzam a solução para as crises na Líbia e na Síria, disse hoje o Presidente Emmanuel Macron.

O Presidente francês disse, em conferência de imprensa em Biarritz, que os líderes do G7 tinham acordado por unanimidade pedir o envolvimento da União Africana e de vários países africanos (África do Sul, Senegal, Burkina Faso e Egipto), bem como do secretário-geral da ONU, António Guterres, para uma discussão sobre o futuro da Líbia.

Também para a crise na Síria, os países do G7 propõem uma reunião internacional, envolvendo os países vizinhos e as Nações Unidas para se encontrar um patamar de discussão de propostas de solução no combate aos rebeldes terroristas.

Para a Líbia, os sete países reunidos em cimeira em Biarritz, concordaram em que qualquer solução para a crise deve ser política, que é essencial um cessar-fogo imediato e que se torna necessária uma reunião internacional envolvendo vários países e com o comprometimento directo das Nações Unidas.

“Apenas assim será possível nos aproximarmos de um clima de estabilidade que leve a uma paz duradoura”, afirmou Emmanuel Macron, citando as conclusões da cimeira de Biarritz, para esta crise africana.

“Todos os envolvidos decidiram aceitar a proposta de uma conferência internacional, proposta pelo secretário-geral da ONU”, disse o Presidente francês, anunciando que a União Africana está apostada nesta solução.

Relativamente à Síria, Macron disse que o secretário-geral da ONU, que tinha estado presente na cimeira do G7, apresentou o ponto de situação da crise, alertando para o facto de a “situação humanitária se estar a agravar de forma preocupante”.

Macron disse que tem pessoalmente acompanhado a crise na Síria, nomeadamente em conversas com o Presidente russo, Vladimir Putin, e com dirigentes turcos, que têm um papel importante na região.

O Presidente francês anunciou que está prestes a ser criada uma comissão constitucional, envolvendo as Nações Unidas, elogiando o trabalho de António Guterres para esta solução, que “poderá levar a uma Síria pacificada e pluralista”.

“É fundamental a estabilidade política, para se atacar o problema dos refugiados da Síria”, concluiu Emmanuel Macron, depositando confiança na solução que está a ser desenhada pela ONU, para esta crise.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos