Futebol: Mindelense considera “natural” adiamento da final e já prepara equipa para a primeira mão – presidente

 

Mindelo, 06 Jul (Inforpress) – O presidente do Mindelense disse hoje à Inforpress, no Mindelo, que recebeu “com naturalidade” a notícia do adiamento da final em uma semana e que prepara a equipa “calmamente, com tranquilidade” para a primeira mão da final.

A Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) decidiu adiar em uma semana o jogo da primeira mão da final do campeonato de Cabo Verde em comunicado de imprensa divulgado na quarta-feira, 05.

Justifica o adiamento com o facto de os prazos para a conclusão dos autos do processo disciplinar instaurado pelo Conselho de Disciplina ao Ultramarina coincidirem com a data do jogo da primeira mão da final.

“Sabíamos que foi dado um prazo à Ultramarina para lavrar a sua defesa e entendemos perfeitamente que não havia condições para a logística do jogo da primeira mão da final”, lançou Daniel de Jesus, argumentando que resta agora ao seu clube preparar a equipa para jogar a primeira mão da final, no dia 15, em São Vicente.

É que Daniel Jesus diz-se “firmamente convencido” de que o desfecho do caso vai qualificar o Mindelense directamente à final da prova.

Sobre a derrota caseira frente à Ultramarina (0-2), do passado fim-de-semana, em São Vicente, o presidente do popular clube da Rua da Praia desvalorizou-a e explicou que não terá implicação para os futebolistas da sua equipa, que estavam “avisados e preparados” para o que iria acontecer naquele jogo.

“A partida veio reforçar em nós a ideia de continuar a não perceber a decisão da Ultramarina em levar a decisão da eliminatória para este campo litigioso, a eles cabe justificar as motivações, mas teria sido uma meia-final bastante interessante e competitiva por se tratar de duas boas equipas”, lançou Daniel de Jesus.

Ainda em relação ao segundo jogo, que retundou em derrota para a sua equipa, o líder encarnado referiu que o Mindelense entrou em campo porque a FCF agendou a partida mas que “esse tal segundo jogo não deveria ter acontecido” pois, sintetizou, à luz dos regulamentos, quando uma equipa é penalizada com derrota numa eliminatória a duas mãos implica automaticamente a qualificação do adversário (artigo 39ª, ponto 2 do regulamento disciplinar da FCF).

“Fomos lá para cumprir o calendário, porque foi estabelecido pela FCF, mas esse tal jogo depois terá de ser anulado porque os regulamentos são claros nesse sentido”, lançou o presidente do Mindelense, que aconselha ainda as pessoas a ler o regulamento geral e o regulamento disciplinar da FCF.

“Este acontecimento do jogo da primeira mão está lá todo enquadrado”, conclui Daniel de Jesus.

AA/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos