Futebol/Fogo: A retoma do futebol é uma necessidade que deixa falta às comunidades – presidente associação

São Filipe, 09 Jan (Inforpress) – O presidente da direcção da Associação Regional de Futebol do Fogo, Pedro Pires, disse hoje que a retoma das actividades futebolística é uma necessidade que deixa muita falta às comunidades.

Esta afirmação foi proferida no final de uma reunião que a associação promoveu hoje na cidade de São Filipe com os dirigentes dos clubes federados do primeiro e segundo escalões, para analisar a retoma da actividade futebolística e programação da época 2020/21, tendo os clubes manifestados a favor do regresso do futebol.

Todos querem que a época se inicia, mas à entrada para a reunião o número de equipas inscritas na Plataforma Cabo Verde Connect apontava para quatro equipas do segundo escalão e sete do primeiro, tendo o presidente da associação informado aos clubes que a Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) prorrogou o prazo das inscrições para até o dia 21 de Janeiro, isto tendo em conta as dificuldades que a situação da pandemia está a colocar.

No entanto, o responsável indicou que nas últimas 24 horas, pelo menos, mais cinco equipas entre as do primeiro e segundo escalões se inscreveram e que a associação está a fazer tudo para que todas as equipas se inscrevam e participam nas provas regionais do primeiro e segundo escalões.

Para que isso aconteça, a FCF atribuiu um subsidio de 100 mil escudos às equipas do primeiro e 70 mil as do segundo escalão, devendo as equipas, à semelhança das épocas anteriores, contarem com subsídios financeiros das câmaras municipais para a retoma do futebol.

A reunião de hoje foi essencialmente para partilhar as informações e programar a retoma da actividade futebolística, tendo sido socializada a questão de segurança, como manter a segurança sanitária, a planificação e o modelo do campeonato que se quer implementar tendo em conta este período de tempo.

“Colocamos três propostas de modelos de campeonato para este tempo, porque estamos num período especial que exige uma adequação do modelo de campeonato ao período de tempo”, disse Pedro Pires, indicando que o modelo tradicional, de todos contra todos a duas voltas, não se adequa ao tempo em que estamos.

Por isso, a associação propôs a realização do campeonato por fases, com menos tempo e que trará maior competitividade ao futebol, e o presidente mostrou-se convicto de que os clubes, ao analisarem o período e a competitividade, vão votar, dentro de duas semanas, favoravelmente ao modelo proposto.

Assim ficou agendada uma nova assembleia-geral para daqui a duas semanas, para aprovação do modelo e realização dos sorteios dos campeonatos regionais do primeiro e segundo escalões, que vai depender da decisão governamental sobre o levantamento do estado de calamidade que a ilha está sujeita, e a consequente reabertura dos recintos desportivos para que as equipas possam treinar e preparar para os campeonatos.

A proposta para a primeira fase que é disputada no sistema de todos contra todos a uma só volta aponta o inicio para os dias 07 e 07 de Fevereiro e o termino no dia 11 de Abril, devendo a segunda fase ser disputada de 17 de Abril a 23 de Maio.

A primeira fase do campeonato regional do primeiro escalão, caso o modelo for aprovado, será disputada pelas 10 equipas, enquanto a segunda fase será dividida em dois grupos, sendo o primeiro entre os quatro primeiros classificados, no sistema de todos contra todos a duas voltas, para encontrar o campeão, e o segundo grupo será integrado pelas seis equipas restantes, do 5º ao 10º classificados da primeira fase, para definir as duas equipas que serão despromovidas ao segundo escalão.

Já o campeonato do segundo escalão, dividido em dois grupos, a primeira fase disputada no sistema de todos contra todos a duas voltas, decorre de 27 de Fevereiro a 16 de Maio e a segunda fase, entre os dois primeiros classificados dos dois grupos, decorre de 22 de Maio a 27 de Junho.

O primeiro escalão conta com 10 equipas, sendo uma de Santa Catarina do Fogo (Baxada), duas dos Mosteiros (Cutelinho e No Pintcha) e sete de São Filipe (Académica, ABC de Patim, Botafogo, Nova Era, Spartak, Valência e Vulcânico).

O segundo escalão tem 12 equipas, nomeadamente Atlântico, Brasilim, Juventude, Juventus de Curral Grande, Luzabril e União de São Lourenço (São Filipe) que forma o grupo A, e, Atlético e Grito Povo (Mosteiros) e Desportivo, Esperança, Pavense e Parque Real (Santa Catarina do Fogo), grupo B.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos