Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Furto de postes da CVTelecom tem contribuído para a degradação dos serviços da empresa (c/áudio)

Cidade da Praia, 11 Jan (Inforpress) – O furto de postes da Cabo Verde-Telecom no município de São Domingos, uma “situação recorrente”,  tem posto em risco os serviços prestados por esta empresa e o mais recente caso aconteceu no passado sábado, 08 de Janeiro.

Diante desta situação, segundo o director operacional e de manutenção da CV Telecom, Almiro Rocha, a empresa vê-se obrigada a fazer deslocar-se ao terreno a sua força-tarefa para a reposição dos serviços com a “maior urgência possível”,  a fim de os clientes não serem prejudicados.

“Esta situação é já recorrente na zona circunvizinha de Monte Vaca, passando por Ribeirão Chiqueiro, Praia Abaixo e Rui Vaz”, revelou, apontando que no ano se registaram mais de 40 cortes de serviços provocados por acção de terceiros, sobretudo por actos de vandalismo.

Segundo Almiro Rocha, a última acção dos vândalos consistiu no corte de postes correspondentes a cerca de um quilómetro de cabos que têm de ser repostos, assim como os respectivos suportes.

Os vestígios encontrados no local, nomeadamente de motosserras e sinais de pneus, disse Almiro Rocha, revelam que os autores destes vandalismos vão preparados para este tipo de acções.

“E isto degrada a qualidade de serviço que prestamos aos nossos utentes”, lamentou aquele responsável.

“Muitas vezes, os clientes não dão conta dos problemas porque providenciamos rapidamente a reposição dos serviços, mas há sempre um ou outro site que leva horas para o restabelecimento do serviço”, apontou.

Instado se têm identificado os autores dos furtos, afirmou que existem casos em que a justiça autuou, culminando com a prisão de pessoas, assim como de materiais roubados.

“No ano passado, foi dado seguimento a pouco mais de 50 queixas que se encontravam na Procuradoria da República, pelo que não podemos dizer que as autoridades não estão connosco nesta luta”, indicou, acrescentando que também se tem registado cortes por “simples vandalismo”, nomeadamente nos arredores do Estádio Nacional.

De acordo com a mesma fonte, as pessoas não deviam estar a fazer a recetação dos materiais furtados, uma vez que isto constitui crime.

LC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos