Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fundação José Maria Neves para a Governança dá aos estudantes a conhecer Teixeira de Sousa como homem público e político

Cidade da Praia, 12 Dez (Inforpress)- A Fundação José Maria Neves para a Governança, em parceria com a Universidade Jean Piaget de Cabo Verde, apresentou hoje ao público académico o “outro lado” de Henrique Teixeira de Sousa, como um “homem público e político”.

No âmbito das suas actividades e enquadrada nas comemorações do centenário do nascimento de Teixeira de Sousa, a Fundação José Maria Neves para a Governança convidou o embaixador Jorge Tolentino para proferir uma conferência subordinada ao tema “Teixeira de Sousa: Um Ilhéu de Causas”.

Segundo o presidente da Fundação, José Maria Neves, hoje em dia quase que não se ouve falar desta “grande personalidade” que marcou a história de Cabo Verde e quando se ouve sempre é Teixeira de Sousa enquanto escritor e médico.

“Há algumas homenagens tímidas, por exemplo, o Liceu em São Felipe na Ilha do Fogo, mas praticamente nós não ouvimos falar desta grande personalidade. Temos que ter a capacidade, enquanto país, de resgatar esses grandes homens que deram um enorme contributo para a construção de Cabo Verde e que podem servir de referência para as gerações presentes e futuras”, sugeriu.

Com esta conferência, a Fundação quis homenagear e reconhecer o papel deste homem que foi “autarca e homem público e que teve uma participação cívica e política importante no arquipélago”.

Durante esta conversa aberta com os alunos, o embaixador Jorge Tolentino tentou recuperar e perceber os “traços, ou momentos ou facetas habitualmente não abordados ou só incidentalmente abordados”.

“Estamos na verdade perante um homem singular, de uma extraordinária densidade ética e, por isso mesmo, um cidadão a tempo inteiro, tão simples como multifacetado e complexo, sempre interveniente e solidário, coerente e frontal, combativo e, sobretudo, incorruptível”, disse, descrevendo ainda Teixeira de Sousa como uma pessoa culta, movida pelo humanismo, preocupada com as questões da seca do seu país.

Henrique Teixeira de Sousa (1919-2006), médico, nutricionista e escritor deixou uma vasta obra literária, para além de estudos dos domínios da nutrição e da saúde pública.

Teixeira de Sousa foi também autarca e homem público, tendo intervindo na formulação e implementação de políticas públicas em domínios sensíveis do desenvolvimento local e regional, particularmente na Ilha de São Vicente, onde exerceu também as funções de Presidente da Câmara Municipal (1959/1965), destacando-se na elaboração de estudos e planos visando fazer face a sucessivos anos de seca.

AM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos