Fundação DonAna vai “responsabilizar” deputado do MpD por calúnia e injúria durante intervenção no Parlamento

 

Cidade da Praia, 05 Abr (Infropress) – A Fundação DonAna, uma ONG cabo-verdiana sem fins lucrativos, anunciou hoje, na Cidade da Praia, que vai responsabilizar legalmente o deputado do MpD, Orlando Dias, que considera ter acusado a instituição de forma “injuriosa” na sessão parlamentar do dia 27 de Março.

Em nota de imprensa que deu hoje à estampa, a Fundação DonAna esclareceu que no quadro da campanha patrocinada pela Rádio Televisão de Cabo Verde (RTC), denominada “Djarfogo na Corasan”, que tinha como objectivo a mobilização de recursos para apoiar a população de Chã das Caldeiras, na sequência da erupção vulcânica, foi depositada pela organização na conta da referida campanha um cheque no valor de um milhão de escudos, no dia 20/12/2014, tendo o mesmo sido entregue durante o programa da RTC, “Show da Manhã”.

Conforme explica ainda a nota em apreço, “Tendo passado mais de dois anos após a disponibilização da quantia referida, sem que se tivesse dado qualquer uso ao montante, e constatando no terreno a extrema falta desse dinheiro para dar respostas às necessidades da população do Vulcão do Fogo, a Fundação DonAna solicitou aos responsáveis da RTC a devolução do montante ou justificativos da sua utilização”.

Em resposta a esta solicitação, sublinha a nota de esclarecimento, foi enviada à caixa Económica de Cabo Verde, pela RTC a 11 de Julho de 2016 uma ordem de transferência do montante para a conta da Fundação DonAna, transferência essa que, no entanto, não chegou de se concretizar até agora, atendendo que a conta da RTC esteve sob bloqueio.

Entretanto, na última sessão plenária de Março, o assunto foi levado a debate pelo deputado do MpD, Orlando Dias, que durante a sua intervenção teria afirmado que a Fundação DonAna teria reavido já esse montante.

Os responsáveis da fundação não gostaram da afirmação do deputado por considerar que beliscou o “nome e a honra da instituição”, e por isso decidiu que vai utilizar os meios e as vias legais para responsabilizar “aqueles que gratuita e irresponsavelmente, utilizam o palco (…) para vilmente atacarem e denegrirem aqueles que não estão presentes…para se defenderem”.

Na sequência da abordagem deste assunto no parlamento, uma delegação do PAICV que manteve encontro com o Conselho da Administração da RTC, no dia 03, disse à imprensa ter sido esclarecida sobre o paradeiro do montante arrecadado com a campanha “Djarfogo na Corasan”.

O deputado do PAICV, Nuías Silva afirmou que informações recebidas indicam que os cerca de 3.500 contos se encontram na conta do parceiro principal (RTC), que prometeu dar ao montante o destino para o qual foi recolhido.

A campanha solidária “Djarfogo na Corasan” foi lançada pela RTC, em parceria com várias entidades nacionais e o seu objectivo era arrecadar verbas para ajudar a população de Chã das Caldeiras, na sequência da última erupção vulcânica na ilha do Fogo.

PC/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos