Fundação Amílcar Cabral formaliza escritos de Amílcar Cabral para o “Registo Memória do Mundo da UNESCO”

Cidade da Praia, 29 Jan (Inforpress) – A equipa técnica da Fundação Amílcar Cabral (FAC) procedeu hoje à entrega formal dos escritos de Amílcar Cabral ao “Registo Memória do Mundo da UNESCO” ao presidente desta fundação, comandante Pedro Pires, num acto testemunhado pelo ministro da cultura.

Trata-se de um desafio considerado primordial pela Fundação Amílcar Cabral (FAC) que adoptou para o biénio 2018-2019 a inscrição dos escritos de Amílcar Cabral no Registo Memória do Mundo da UNESCO, enquanto um programa instituído em 1992, com o propósito de contribuir para a salvaguarda do património documental mundial.

Na ocasião, o presidente da FAC, Pedro Pires, outrora companheiro de Amílcar Cabral da luta da libertação da Guiné e Cabo Verde, destacou o trabalho “militante/voluntário” levado a cabo pela comissão técnica, de forma a transformar propostas num trabalho amplo sobre a figura histórica de Amílcar Cabral.

O antigo presidente da República considera que a ideia da candidatura dos escritos de Amílcar Cabral e de outros documentos e declarações torna-se hoje, cada vez mais presente, por ser uma “iniciativa pertinente e oportuna”, cujo almejado selo da UNESCO servirá para ultrapassar os riscos em relação às obras no projecto memória do mundo, no sentido de perpetuar as obras do pai da nacionalidade.

Revelou a ideia em fazer o máximo para que em 2024, por altura do centenário do nascimento de Amílcar de Cabra, l haja uma grande manifestação, com o entendimento de que Amílcar Cabral deve servir para fortalecer a união entre Guiné e Cabo Verde, mas também os cabo-verdianos, enquanto personalidade de dimensão histórica, africana e universal.

Coordenada por Manuel Veiga, a equipa técnica, integrada pelo comandante Carlos Reis, pelo investigador guineense Julião Soares Sousa, e pelo engenheiro agrónomo, Arlindo Fortes, Prof. da Uni-CV, fez este trabalho em 10 meses, tendo produzido dois estudos, sendo uma obra de 429 páginas e documento-súmula de 40 páginas.

Esta equipa técnica teve a missão de elaborar os estudos que fundamentam a importância e oportunidade de uma possível candidatura e a actualidade do pensamento do seu patrono, enquanto humanista, homem de cultura, poeta, estratega da luta de libertação nacional, diplomata, pedagogo e agrónomo.

A cerimónia contou ainda com entidades como o embaixador da Guiné-bissau em Cabo Verde, M’Nbala Fernandes, a filha de Amílcar Cabral, Iva Cabral, combatentes da liberdade da Pátria, de entre outras figuras ligadas a letras.

SR/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos