Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Freestyle: Nick Barros reclama pagamentos pelas medalhas conquistadas nos I Jogos Africanos de Praia

Cidade da Praia, 19 Jun (Inforpress) – O atleta cabo-verdiano, Nick Barros, medalha de ouro e prata na modalidade freestyle nos  I Jogos Africanos de Praia, realizado em 2019, na ilha do Sal, reclama, junto do Governo, o pagamento pelas conquistas.

Em entrevista à Inforpress, via internet, desde Estados Unidos América (EUA), Nick Barros avançou que, no ano passado, juntamente com  organização de Freestyle Tour Cabo Verde,  entrou em contacto com o Instituto do Desporto e da Juventude (IDJ), mas que até agora não recebeu qualquer pagamento.

Nick Barros avançou ainda que depois das conquistas  nos  Jogos de Praia,  não teve “qualquer apoio da extinta Direcção  Geral dos Desportos (DGD), actualmente IDJ.

“Somente continuei  a frequentar o Estádio Nacional, que  me disponibilizava espaços para treinos”, esclareceu o atleta vencedor do primeiro Concurso Freestyle Tour Cabo Verde, realizado em 2018, na Cidade da Praia. 

Em relação à polémica entre  o IDJ e  atleta paralímpico Gracelino Barbosa, que também reclama pelos prémios, Nick Barros classificou esta situação de “bastante triste e desmotivante”.

“Se Gracelino Barbosa, um atleta campeão e recordista mundial não está a receber o reconhecimento que merece, qual é a situação dos atletas que ainda têm muito para provar?”, questionou Nick Barros, enaltecendo a postura de Gracelino Barbosa por continuar a trabalhar com “garra e a representar o País”.

Não obstante esses constrangimentos avançou que está sempre disponível para representar Cabo Verde, informando que  está a preparar a sua participação no Campeonato Africano de freestyle, agendado para 2022, na Nigéria. 

Após as conquistas nos Jogos Africanos de Praia, Nick Barros participou, em 2020, no campeonato africano e no mundial da modalidade, realizados online, devido às restrições da pandemia.

Nestas competições, o atleta cabo-verdiano chegou à segunda fase na prova mundial e atingiu Top 8 no Campeonato Africano.

OM/HF

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos