Francisco Carvalho compromete-se a assegurar gestão equilibrada entre sentimento e razão e fazer da Praia farol de Cabo Verde

Cidade da Praia, 20 Nov (Inforpress) – O novo presidente da Câmara Municipal da Praia prometeu trabalhar para todos os praienses, independentemente das posições políticas, ideológicas, culturais ou sentimentais, para “uma gestão equilibrada entre o sentimento e a razão”.

Durante a cerimónia da sua investidura como edil do maior município do País, Francisco Carvalho, que quer “fazer da Praia o farol do País”, disse que a sua vitória “é também da cidadania, da persistência e da entrega ao serviço público” e prometeu agir com transparência, prestação de contas e elevado sentido de rigor além de frisar que a sua gestão vai valorizar as estatísticas para melhor compreensão da realidade,

A este propósito, enalteceu o “espírito de missão” da presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) “pelo trabalho intenso por Cabo Verde” e ressalvou a necessidade de se aprofundar a democracia e desenvolver instituições, visando colocar à disposição dos cidadãos informações e conhecimentos que lhes permitam avaliar e exigir dos políticos.

Reafirmou que o resultado destas eleições se afigura como a concordância de uma maioria do município da Praia, baseada numa visão da alternativa do municipalismo, focada nas pessoas nos problemas mais directos como a habitação, acesso ao solo, saneamento, ordenamento do território, ambiente, segurança e paz.

Elegeu ainda o reforço do empresariado, o acesso ao rendimento, o apoio aos jovens, aos idosos e às famílias, descentralização e desconcentração, desenvolvimento rural, empoderamento das organizações da sociedade civil, confiança e aposta nos actores comunitários, bem como aprofundamento de pertença local e maior participação na vida colectiva como desafios da sua gestão.

Francisco Carvalho asseverou que há ainda um longo caminho a percorrer que, a seu ver, passa pelo afinar do municipalismo no arquipélago, tendo ressalvado que sempre foi crítico quanto ao rumo seguido, por defender que o “municipalismo cabo-verdiano não serve o desenvolvimento com enfoque nas pessoas”.

Prometeu “inaugurar um diálogo com todos os parceiros deste município na implementação” da sua visão e atribuiu ao Governo da República um papel fundamental em ajudar a abrir caminhos para a concretização de projectos indispensáveis para o desenvolvimento da capital do País e disse contar com a habitual abertura e engajamento dos parceiros internacionais.

Sublinhou a forma como toda a sua equipa se entregou de corpo e alma para a concretização da vitória do PAICV nas eleições autárquicas de 25 de Outubro e fez questão de agradecer à equipa cessante, liderada por Óscar Santos, pelo “trabalho desenvolvido” na autarquia da capital e prometeu trabalhar para uma “Praia inclusiva, humana, geradora de oportunidade para todos”.

Passados quase três décadas das primeiras eleições autárquicas realizadas no País, Carvalho sublinhou “a crescente pacificação dos processos eleitorais como uma das notas mais importantes”, tendo afiançado que com os últimos escrutínios a “Praia reforçou a crença na democracia, no diálogo e na confiança da ideia em defesa do interesse colectivo”.

SR/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos