Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

França: Sete novas detenções em investigação a degolação de professor

Le Pecq, França, 12 Jan (Inforpress) – Sete indivíduos foram hoje detidos pela polícia antiterrorismo francesa no âmbito da investigação à degolação do professor de liceu Samuel Paty, em Outubro de 2020, por um extremista islâmico.

Os detidos terão mantido contactos através das redes sociais com o assassino, o jovem refugiado de origem chechena Abdoullakh Anzorov, de acordo com fonte judicial citada pela agência AP.

Sob acusações de terrorismo e homicídio, outros 14 indivíduos já se encontravam a ser formalmente investigados pela Justiça francesa.

As detenções de hoje tiveram lugar nas cidades de Paris, Lyon, Toulouse e outras localidades do Oeste do país.

A lei antiterrorismo francesa permite que os suspeitos possam ser sujeitos a detenção para interrogatório durante 96 horas.

Samuel Paty foi degolado a 16 de Outubro de 2020 à saída da escola onde leccionava na região de Paris, depois de ter mostrado aos seus alunos, durante um debate sobre a liberdade de expressão, caricaturas do profeta Maomé.

O assassino, um jovem de 18 anos identificado pelas autoridades como Abdoullakh Anzorov, foi abatido pela polícia.

Anzorov assumiu responsabilidade pelo homicídio num texto deixado no seu telemóvel, juntamente com uma fotografia da vítima.

Duas semanas depois da morte do docente, três pessoas foram esfaqueadas mortalmente na Basílica de Notre-Dame de Nice por um extremista islâmico, levando o presidente Emmanuel Macron a proclamar que a França “está sob ataque”.

O Parlamento francês aprovou em Dezembro de 2020 o prolongamento até Julho de 2021 de controversas medidas de segurança inscritas na lei antiterrorismo do país.

A lei encontra-se em vigor desde Novembro de 2017 e é criticada pelos defensores das liberdades civis, prevendo buscas e visitas domiciliárias, medidas individuais de controlo, estabelecimento de perímetros de segurança e encerramento de locais de culto.

As medidas são inspiradas directamente no estado de emergência que foi decretado pelas autoridades francesas na noite dos ataques terroristas de 13 de Novembro de 2015, que mataram 130 pessoas em Paris, e que foram então classificados como os piores ataques em solo francês desde a II Guerra Mundial.

Quando entrou em vigor, no início de Novembro de 2017, a lei antiterrorismo francesa pôs fim ao estado de emergência que vigorava no país.

O texto adoptado pelos parlamentares franceses prevê igualmente uma prorrogação até 31 de Dezembro de 2021 de medidas relacionadas com os serviços de informações.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos