Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

FPFP perspectiva beneficiar cerca de 700 jovens em 2020 com financiamento para formação profissional

Cidade da Praia, 27 Jan (Inforpress) – O Fundo de Promoção de Emprego e Formação (FPEF) tem, neste momento, aberto o 18º concurso para a atribuição de cerca 700 bolsas de financiamento da formação profissional em 2020, cujo orçamento é de 30 milhões de escudos.

Segundo o gestor do FPEF, Danilson Borges, o concurso já está aberto desde o dia 17 de Janeiro, devendo prolongar-se até 17 de Fevereiro. Podem concorrer jovens cabo-verdianos com idade compreendida entre os 16 e 30 anos e que estejam em situação de desemprego.

“É o financiamento destinado a jovens que procuram uma formação profissional para a sua realização social e pessoal. O Fundo garante acesso através do apoio a bolsa de estudos que é atribuído anualmente a esse grupo etário que deseja fazer uma formação profissional”, disse.

Neste sentido garantiu que todos os jovens com idade compreendida entre os 16 e 30 anos e que não têm condições financeiras podem recorrer ao fundo para o financiamento da sua formação.

O concurso prevê duas modalidades de financiamento designadamente a bolsa reembolsável que representa 80% do montante disponibilizado, e a fundo perdido.

O objectivo, conforme explicou, é de facilitar e promover o acesso dos jovens a formação profissional de qualidade com relevância para o mercado e para economia nacional.

A meta com esse orçamento de 30 milhões de escudos é de beneficiar um total de 700 jovens a nível nacional.

A participação no concurso pode ser feita de forma individual e directamente pelo beneficiário ou indirectamente através das entidades formadoras, escolhidas pelos beneficiários.

Danilson Borges adiantou que para esse concurso foram definidas como áreas prioritárias as que estão alinhadas com as áreas de desenvolvimento do país nomeadamente o agronegócio, o turismo, as tecnologias de informação e comunicação, economias criativas, serviços financeiros, economias verdes, energias, renováveis, saúde, economia azul, construção e obra civil e manutenção de veículos.

O FPEF traduz-se num instrumento determinante para um maior acesso à formação profissional de qualidade e mais oportunidades de integração no mercado de trabalho, aumentando a empregabilidade dos cabo-verdianos, em geral, e dos jovens, em especial.

Desde o início das suas funções em 2013, o Fundo já beneficiou cerca de sei mil jovens. Só no ano de 2019 beneficiou cerca de 2.500 jovens de acordo com dados apresentados por Danilson Borges.

MJB/ZS

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos