Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local terá impacto positivo na economia – organização

 

Cidade da Praia, 12 Mai (Inforpress) – A organização do IV Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local (FMDEL), previsto para Outubro, na Cidade da Praia, acredita que o evento terá impacto positivo na economia local e nacional, a curto e longo prazo.

A afirmação foi feita hoje pela presidente da comissão organizadora do fórum, Francisca Santos, no final de uma reunião entre primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, o corpo diplomático acreditado em Cabo Verde e as agências de cooperação internacional, com o propósito de apresentar o projecto IV FMDEL.

“A longo prazo queremos que o fórum tenha impacto na economia nacional, naturalmente, a nível do turismo, promovendo Cabo Verde enquanto destino turístico, mas também queremos conquistar espaço para receber conferências de grande dimensão. A curto prazo, que tenha impacto na economia local”, afirmou.

Segundo a responsável, vai haver uma “demanda grande” de serviços durante o fórum, mas já na parte preparatória, avançando que, neste momento, está-se na fase da contratualização dos serviços, como forma de garantir as condições logísticas no Estádio Nacional, local onde vai decorrer o evento, assegurando que “quase todos os operadores económicos vão ser envolvidos neste processo”.

O encontro de hoje, que contou com a participação de cerca de 20 representantes das embaixadas e de organismos internacionais, segundo Francisca Santos, foi uma oportunidade para reforçar e alargar a rede de parceiros internacionais e incentivar os países amigos de Cabo Verde a participar no fórum.

“Tendo em conta que é a primeira vez que Cabo Verde organiza um evento desta dimensão e há países com experiência nesta matéria, quisemos ouvir sugestões”, explicou, indicando que entre essas sugestões, está a de garantir a chegada de participantes a Cabo Verde que têm que passar por outros países e que terá a necessidade de vistos de entrada.

Desta forma, Francisca Santos avançou que o alerta foi dado no sentido de se trabalhar, atempadamente, com esses países para garantir a atribuição de vistos, assim como articular com as companhias áreas para se poder assegurar voos suficientes para Cabo Verde, nessa altura.

O alojamento, considerado um dos “grandes desafios” pela organização, e a questão da mobilização dos participantes estiveram, também, em cima da mesma, tendo Francisca Santos sublinhando que por estar a acontecer em África, existe a preocupação de ter uma presença “expressiva” do continente africano, assim como da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Na mesma linha, a presidente da comissão organizadora fez saber que as outras ilhas foram envolvidas desde o primeiro momento, com a realização de encontros de divulgação do evento em alguns municípios, sendo que no dia 15 de Maio, vai ter lugar em Santo Antão, um encontro entre o primeiro-ministro e os presidentes das câmaras municipais, no sentido de se alinhar uma estratégia de participação dos municípios.

No fórum, para além da parte da conferência, na qual haverá diversas sessões plenárias e diálogos políticos, estão programados encontros “business to business” para promover o intercâmbio entre sector privado, as câmaras municipais, instituições públicas e organizações da sociedade civil cabo-verdiano com outros países, mas também uma feira “Consumir Cabo Verde” e outras actividades sociocultural.

A organização considerou que, preparar e acolher o IV do FMDEL por Cabo Verde, no qual deverão participar cerca de 2.000 participantes, reveste-se de “particular importância e relevante interesse nacional”, na medida em que constitui uma oportunidade para o país reforçar parcerias globais, nacionais e locais.

A inscrição do Desenvolvimento Económico Local na agenda política nacional, enquanto ferramenta válida para alcançar igualdade, equidade e coesão territorial, no quadro da localização dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, também é relevante para o arquipélago.

O evento que terá a participação de governos locais, regionais e nacionais, de organizações multilaterais, académicos, instituições de cooperação internacional e de organizações sociais e económicas, tem como propósito promover o diálogo global sobre o Desenvolvimento Económico Local, através da partilha de experiências, reforço de alianças entre as partes envolvidas e promoção da cooperação a nível nacional.

DR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos